Governo italiano fecha escolas e universidades até 15 de março por causa do Covid-19

O Governo italiano decidiu fechar todas as escolas e instituições de ensino superior até 15 de março. A medida, decretada por causa do coronavírus, entra em vigor esta quinta-feira.

O Governo italiano decidiu fechar todas as escolas e instituições de ensino superior até meados de março, por forma a limitar a propagação do novo coronavírus.

Esta decisão foi tomada após a reunião entre o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, e os restantes ministros, sendo que será publicado ainda esta quarta-feira um decreto-lei a validar a medida. Vai entrar em vigor esta quinta-feira e tem efeitos até 15 de março, aponta o La Reppublica (acesso livre, conteúdo em italiano).

É uma decisão com grande impacto. Espero que os estudantes regressem assim que possível e estou empenhada em fornecer o serviço público essencial, ainda que remotamente, aos nossos estudantes”, disse esta quarta-feira a ministra da Educação, Lucia Azzolina, em conferência de imprensa.

Com esta iniciativa, as escolas e universidades estarão igualmente restritas aos funcionários do corpo docente e não docente.

Estão ainda a ser tomadas medidas, para permitir que os pais tirem uma folga quando a escola fecha. “Estamos cientes do impacto que uma medida como o fecho das escolas terá sobre os pais e as famílias, e, por isso, estamos a mover-nos com a máxima rapidez e determinação para proteger os funcionários públicos e os indivíduos particulares“, assinalou, a ministra adjunta da Economia, Laura Castelli.

Por forma a limitar a propagação do vírus, o Governo, juntamente com as autoridades de saúde têm emitido várias recomendações. As pessoas com idade superior a 75 anos são até aconselhadas a permanecerem em casa, têm sido aconselhadas a evitarem cumprimentos, grandes eventos já foram cancelados e jogos de futebol à porta fechada.

Itália é neste momento o país europeu com o maior número de casos confirmados de contágio por Covid-19. Segundo o último balanço da Organização Mundial de Saúde, o surto já infetou 2.036 pessoas no país, tendo provocado 52 mortes.

A nível global, a epidemia do novo coronavírus, que teve origem na província de Hubei, na China, causou até à data mais de 3.100 mortos e infetou mais de 91.000 pessoas em cerca de 70 países e territórios, incluindo cinco em Portugal.

(Notícia atualizada às 18h07 com mais informações)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo italiano fecha escolas e universidades até 15 de março por causa do Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião