Oeiras vai ter um pólo da Altice Labs. É o quinto fora de Aveiro

A Altice Portugal vai expandir o projeto da Altice Labs a uma nova localização: Oeiras. Ficará no Taguspark e ajudará o centro tecnológico da dona da Meo a produzir tecnologia para 60 países.

A Altice Portugal vai criar um pólo da Altice Labs em Oeiras, que será instalado no Oeiras Valley. É o quinto centro de investigação e desenvolvimento da Altice Portugal fora da cidade de Aveiro, onde se localiza a sede do projeto. Até agora, Viseu, Madeira, Olhão e Açores eram as regiões que tinham, ou preparam-se para ter, laboratórios deste tipo.

O anúncio de mais um pólo da Altice Labs foi oficializado esta quinta-feira pela empresa, dia em assinala o quarto ano desde que herdou este centro no conjunto dos ativos da antiga Portugal Telecom. Desde 2015, ano em que comprou à PT à Oi, que a Altice tem apostado em Aveiro como o “quartel-general” de inovação da marca, expandindo-o a outras regiões do país.

“Aproveitamos este quarto aniversário para anunciar mais um destes centros no país. Vamos abrir no Taguspark um novo laboratório”, disse o líder da Altice Portugal, Alexandre Fonseca, num encontro com jornalistas. A intenção é, numa primeira fase, deslocar talento da Altice Labs para coordenar o arranque do novo projeto, aproveitando, mais tarde, para captar talento nas regiões onde se localizam estes pólos.

Desta forma, a Altice Portugal está à procura de “um parceiro” académico para o novo centro em Oeiras, à semelhança do que fez nas outras cinco regiões. Mas a instalação deste novo centro “não está dependente disso”, garantiu Alcino Lavrador, líder da Altice Labs.

Um outro objetivo da dona da Meo é o de “criar postos de trabalho” e, assim, cativar talento e mão-de-obra para desenvolver as tecnologias do futuro. Ora, no mesmo encontro, a empresa assumiu a dificuldade crescente de encontrar recursos humanos na área da tecnologia, um problema que, de resto, tem afetado muitas empresas tecnológicas em toda a Europa.

A Altice Portugal aproveitou ainda a ocasião para prestar contas do crescimento da Altice Labs desde a aquisição da PT pela Altice. Houve um aumento no número de trabalhadores do projeto, de 600 para 700, bem como a abrangência do negócio da Altice Labs, que exporta “mais de 50%” da sua produção para um conjunto de 60 países, revelou Alexandre Fonseca.

Esta quinta-feira, a Altice Portugal promove uma cerimónia para marcar os quatro anos da marca Altice Labs. O comité executivo da empresa tem já presença garantida, assim como o presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Morais, que se deverá deslocar ao norte do país para este evento.

Com mais de 65 anos de história, o Altice Labs em Aveiro nasceu como Grupo de Estudos de Comutação Automática, tendo evoluído para PT Inovação no tempo da Portugal Telecom. Acabou debaixo da chancela da Altice com a compra dos ativos que eram da PT na sequência da fusão falhada com a brasileira Oi.

A partir deste centro, a Altice tem continuado a desenvolver tecnologia, sendo uma das últimas um novo router de acesso à internet com suporte para Wi-Fi 6. Trata-se de um novo protocolo que acelera e melhora as atuais redes sem fios.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Oeiras vai ter um pólo da Altice Labs. É o quinto fora de Aveiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião