Covid-19: Amorim Luxury fecha restaurantes e lojas na Avenida da Liberdade

Grupo Amorim Luxury decidiu encerrar temporariamente e, a partir desta sexta-feira, os restaurantes e as lojas que tem na Avenida da Liberdade, em Lisboa.

A Amorim Luxury, dona do restaurante JNcQUOI ou das lojas da Fashion Clinic, em Lisboa, decidiu “encerrar temporariamente” os seus restaurantes JNcQUOI Avenida, JNcQUOI ASIA e Ladurée, o JNcQUOI CLUB e também as suas lojas Fashion Clinic e Gucci situadas em Lisboa, no Porto e no Algarve, na sequência da propagação do coronavírus.

“Tendo em conta os interesses superiores de saúde pública, e em nome do bem-estar dos seus clientes, colaboradores e suas famílias e como medida preventiva face ao surto e crescente ameaça do vírus Covid-19, entendeu após uma avaliação responsável da situação, encerrar temporariamente e a partir de amanhã, dia 13 de março, os seus restaurantes (…) bem como as suas lojas”, explicou o grupo Amorim Luxury, em comunicado.

Além do encerramento temporário dos restaurantes e lojas, o grupo informa ainda que a abertura da nova loja Dolce & Gabbana, na Avenida da Liberdade, será também adiada. “A reabertura de todos os espaços fica condicionada à reavaliação e acompanhamento permanente da evolução da pandemia”, assinala ainda o comunicado.

Esta manhã, na atualização da DGS, as autoridades deram conta de que, em Portugal, são já 78 os infetados pelo Covid-19. Muitas empresas estão a colocar os trabalhadores a trabalhar remotamente. O conselho de ministros reúne-se esta noite, a partir das 20 horas, para aprovar medidas que decorrerão das recomendações do Conselho de Saúde Pública.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Amorim Luxury fecha restaurantes e lojas na Avenida da Liberdade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião