Vírus: Diretores contra decisão de não encerrar já as escolas

  • ECO
  • 12 Março 2020

O “alarme social” que a doença está a provocar junto das famílias, dos alunos e pessoal docente e não docente justifica o encerramento de escolas, na opinião dos presidentes da ANDE e da ANDAEP.

Depois do Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP) ter decidido que as escolas só devem encerrar por ordem das autoridades de saúde, os presidentes da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) e da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) veem manifestar-se contra a decisão justificando o “alarme social” que a doença está a provocar dentro das comunidades educativas, escreve o Público (acesso livre).

Ao Público, Flinto Lima, que lidera a ANDAEP, diz que o clima nas escolas é “grande angústia e ansiedade”, apontando que os alunos “já não rendem como é normal em função de toda esta situação”. No início da semana, a ANDAEP tinha sugerido que as férias da Páscoa fossem antecipadas, por forma a permitir o encerramento imediato das escolas.

Já Manuel Pereira, presidente ANDE, considera que o Governo português está a cometer o mesmo erro que o Executivo italiano, defendendo que “é preciso atuar de imediato e tomar medidas drásticas”. “Situações excecionais exigem medidas excecionais”, aponta Manuel Pereira. Nenhum dos dois diretores põe em causa a decisão do CNSP em matéria de saúde pública.

O Governo reúne esta quinta-feira em Conselho de ministros, tendo esta temática na agenda e o primeiro-ministro recebe os líderes dos diversos grupos parlamentares para apresentar as medidas que estão a ser tomadas, para conter o surto. Em Portugal, há 59 casos confirmados.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vírus: Diretores contra decisão de não encerrar já as escolas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião