Vírus: Diretores contra decisão de não encerrar já as escolas

  • ECO
  • 12 Março 2020

O “alarme social” que a doença está a provocar junto das famílias, dos alunos e pessoal docente e não docente justifica o encerramento de escolas, na opinião dos presidentes da ANDE e da ANDAEP.

Depois do Conselho Nacional de Saúde Pública (CNSP) ter decidido que as escolas só devem encerrar por ordem das autoridades de saúde, os presidentes da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE) e da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP) veem manifestar-se contra a decisão justificando o “alarme social” que a doença está a provocar dentro das comunidades educativas, escreve o Público (acesso livre).

Ao Público, Flinto Lima, que lidera a ANDAEP, diz que o clima nas escolas é “grande angústia e ansiedade”, apontando que os alunos “já não rendem como é normal em função de toda esta situação”. No início da semana, a ANDAEP tinha sugerido que as férias da Páscoa fossem antecipadas, por forma a permitir o encerramento imediato das escolas.

Já Manuel Pereira, presidente ANDE, considera que o Governo português está a cometer o mesmo erro que o Executivo italiano, defendendo que “é preciso atuar de imediato e tomar medidas drásticas”. “Situações excecionais exigem medidas excecionais”, aponta Manuel Pereira. Nenhum dos dois diretores põe em causa a decisão do CNSP em matéria de saúde pública.

O Governo reúne esta quinta-feira em Conselho de ministros, tendo esta temática na agenda e o primeiro-ministro recebe os líderes dos diversos grupos parlamentares para apresentar as medidas que estão a ser tomadas, para conter o surto. Em Portugal, há 59 casos confirmados.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vírus: Diretores contra decisão de não encerrar já as escolas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião