Estoril Open cancelado devido ao Covid-19

A ATP anunciou a suspensão das competições até 7 de junho, abrangendo assim a prova portuguesa que estava prevista para acontecer entre 25 de abril e 3 de maio.

A ATP decidiu prolongar a suspensão do circuito de ténis mundial até 7 de junho, cancelando, por isso, o Estoril Open, devido à propagação do novo coronavírus.

Após uma análise cuidadosa e devido ao contínuo surto de Covid-19, todos os torneios de ATP e WTA não serão realizados conforme o programado. Isso inclui os torneios combinados ATP/WTA em Madrid e Roma, bem como os eventos WTA em Estrasburgo e Rabat e o ATP em Munique, Estoril, Genebra e Lyon”, lê-se no comunicado do organizador.

Nesse sentido, o Estoril Open, que estaria previsto decorrer entre 5 de abril e 3 de maio, está cancelado, por forma a garantir “a saúde e segurança de todos os envolvidos no evento”.

Vários têm sido as grandes competições adiadas ou canceladas no mundo desportivo um pouco por todo o mundo, dada o receio quanto à propagação do novo coronavírus. Na terça-feira a UEFA decidiu adiar a realização da fase final do Campeonato da Europa de futebol para 2021. Pouco depois, também a Confederação Sul-americana de Futebol decidiu adiar a Copa América para 2021.

Quanto aos Jogos Olímpicos de Tóquio, previstos para 2020, até à data não existe nenhuma indicação de cancelamento ou adiamento. Também na terça feira, o Comité Olímpico Internacional (COI) reiterou o “comprometimento completo” com a realização dos Jogos Olímpicos Tóquio2020 nas datas previstas, de 24 de julho a 9 de agosto, por não existir “necessidade de quaisquer decisões drásticas”.

Segundo o último balanço, o novo coronavírus já infetou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8.200 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 82.500 recuperaram da doença. Em Portugal, há registo de 642 infetados, mais 194 do que na terça-feira. O número de mortos no país subiu para dois e dado o avançar da epidemia, o Presidente da República decidiu declarar estado de emergência.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Estoril Open cancelado devido ao Covid-19

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião