Cruzeiro com 27 portugueses acostou em Lisboa. Mais de mil passageiros vão ser repatriados

Os cidadãos portugueses e os titulares de autorização de residência em Portugal farão os testes de despistagem do novo coronavírus, podendo desembarcar se os resultados forem negativos.

Arrancou este domingo uma operação para o repatriamento de 1.338 passageiros, entre os quais 27 de nacionalidade portuguesa, que se encontram no navio de cruzeiro MSC Fantasia, proveniente do Brasil. O navio acostou esta manhã no Porto de Lisboa e os passageiros permanecem no navio.

Os restantes passageiros são provenientes de 38 países, maioritariamente da União Europeia, Reino Unido, Brasil e Austrália, de acordo com uma nota do gabinete do ministro da Administração Interna. A operação, que envolve várias entidades portuguesas, como o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, a Direção Geral da Saúde e a Polícia Marítima, decorre em articulação com embaixadas destes países.

Os passageiros estão no navio para a realização de todos os procedimentos previstos para o desembarque, nomeadamente a autorização por parte da autoridade de saúde. Nesta tarde, os cidadãos portugueses e os titulares de autorização de residência em Portugal farão os testes de despistagem do novo coronavírus, podendo desembarcar se os resultados forem negativos.

“A partir de terça-feira, e depois de verificados todos os procedimentos de autorização por parte da autoridade de saúde, desembarcarão os restantes passageiros do navio, que, em trânsito, serão escoltados ao aeroporto Humberto Delgado para voos humanitários de regresso aos seus países de origem”, indica o gabinete de Eduardo Cabrita.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cruzeiro com 27 portugueses acostou em Lisboa. Mais de mil passageiros vão ser repatriados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião