VdA trabalha em casa. João Vieira de Almeida gere “impacto significativo” do vírus no escritório

Na VdA todos os colaboradores estão em teletrabalho, com exceção de uma pequena equipa e do managing partner, João Vieira de Almeida. O líder da VdA prevê um impacto significativo nas contas da firma.

A pandemia Covid-19 têm afetado a forma de viver e de trabalhar dos portugueses. Muitas empresas adotaram o mecanismo do teletrabalho de forma a evitar a propagação do vírus. E os advogados não estão imunes às mudanças. Na Vieira de Almeida (VdA) todos os colaboradores encontram-se a trabalhar remotamente.

Entrevistado para a rubrica diária do ECO, Gestores em teletrabalho, João Vieira de Almeida, managing partner da sociedade de advogados VdA, ao contrário dos seus colaboradores não se encontra em teletrabalho. “Todos os colaboradores estão em casa, com exceção de uma pequena equipa que assegura o apoio local indispensável à continuidade das operações. Decidi liderar essa equipa, pelo que estou a trabalhar no escritório“, refere o managing partner.

Ainda assim, João Vieira de Almeida garante que o funcionamento remoto está a funcionar “muito bem” e que os resultados “excedem as melhores expectativas”. “A rotina é a mesma, a solidão física é nova, a realidade é virtual mas a determinação é real e não esmorece”, nota.

Um coisa é certa para o advogado, o Covid-19 terá um “impacto significativo” nas contas do escritório. “Ainda difícil de estimar e muito dependente do período de duração da situação de quase-paragem da economia”, acrescenta o advogado.

Numa época em que as dúvidas são muitas por parte dos clientes, as sociedades de advogados não têm mãos a medir. Entre as áreas mais questionadas pelos clientes está a laboral, contratual e de saúde e farmacêuticas. O managing partner da VdA assegura que a sociedade disponibiliza aos clientes informação “muito abrangente e completa” sobre os problemas que surgem da crise do Covid-19.

“Além disso, estamos a organizar webinars sobre assuntos específicos de interesse para determinados setores e indústrias, e a colaborar muito de perto com os decisores das empresas na elaboração das estratégias que estão a desenvolver para enfrentar esta ameaça”, explicou João Vieira de Almeida.

A VdA – fundada por Vasco Vieira de Almeida – é uma das três maiores sociedades de advogados. Tem 440 pessoas a trabalharem, com mais de 300 advogados e com representação em 13 jurisdições.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

VdA trabalha em casa. João Vieira de Almeida gere “impacto significativo” do vírus no escritório

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião