Covid-19: Perto de 800 pessoas impedidas de entrar em Portugal nas fronteiras terrestres

  • Lusa
  • 25 Março 2020

Segundo o balanço do SEF, desde que as fronteiras estão fechadas foram controlados 69.695 cidadãos, 795 dos quais não foram autorizados a entrar em Portugal e um foi detido.

Uma pessoa foi detida e 795 foram impedidas de entrar em Portugal desde que foi reposto o controlo temporário das fronteiras terrestre devido à pandemia de Covid-19, avançou esta quarta-feira à Lusa o SEF.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23h00 do dia 16 de março em nove pontos de passagem autorizada, sendo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a entidade responsável pelo controlo nestes locais, enquanto a GNR é responsável pela circulação rodoviária.

Dados enviados à agência Lusa indicam que, entre as 23h00 de 16 de março e as 23:00 de terça-feira (24 de março), foram controlados 69.695 cidadãos, 795 dos quais não foram autorizados a entrar em Portugal e um foi detido.

Segundo o SEF, o ponto de passagem autorizado de Valença, em Viana do Castelo, foi o que mais pessoas controlou, um total de 30.906, seguido de Vila Verde da Raia, em Chaves, (11.298), Vilar Formoso, na Guarda (9.058), Caia, em Elvas (7.188), Castro Marim, em Faro (4.305), Quintanilha, em Bragança (2.552), Vila Verde de Ficalho, em Beja (2.234), Termas de Monfortinho, em Castelo Branco (1.512) e Marvão, em Portalegre (642).

O SEF frisa que a maior parte das recusas de entrada no país verificaram-se em Valença (269), Caia (182), Castro Marim (146) e Vilar Formoso (81), tendo sido feita a detenção em Vila Verde da Raia.

Aquele serviço de segurança indica que o objetivo deste controlo é vedar as deslocações de cidadãos em turismo ou lazer entre Portugal e Espanha.

Desde as 23h00 de 16 de março que está vedada a circulação rodoviária nas fronteiras terrestres, com exceção do transporte internacional de mercadorias, do transporte de trabalhadores transfronteiriços e da circulação de veículos de emergência e socorro e de serviço de urgência.

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera, e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados da Covid-19 foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março e até às 23h59 de 02 de abril, cabendo as forças e serviços de segurança fiscalizar as medidas em vigor.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 19.000 morreram.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Perto de 800 pessoas impedidas de entrar em Portugal nas fronteiras terrestres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião