Antes de prolongar estado de emergência, Marcelo quer ouvir os especialistas

O Presidente da República diz que, antes de decidir se prolonga ou não o estado de emergência, vai ouvir os especialistas, "porque eles sabem mais do que nós".

O Presidente da República disse este sábado que, antes de decidir se vai ou não prolongar o estado de emergência, vai ouvir os especialistas. Em declarações aos jornalistas durante uma visita à fábrica da farmacêutica Hovione, deixou ainda um apelo aos portugueses para que na Páscoa continuem a respeitar as normas de contenção para combate ao surto de coronavírus.

“Quando o Governo faz esses apelos e toma essas decisões, é com base naquilo que os especialistas dizem”, começou por dizer, quando questionado sobre a decisão que será tomada na próxima semana quanto ao estado de emergência. “Irá ser ouvido o que os especialistas dizem sobre a evolução do processo, porque eles sabem mais do que nós sabemos”, afirmou.

Sublinhando que “o Governo sempre fez, e muito bem, e o Presidente da República sempre foi sensível ao que os especialistas diziam“, Marcelo detalhou ainda que vai “ponderar aquilo que, primeiro, os especialistas dizem, depois o que resulta da troca de informação com o Governo e em função da sensibilidade da Assembleia da República”.

Durante este momento, o Presidente aproveitou ainda para deixar um apelo aos portugueses. “Agora que se aproxima o período da Páscoa, os que não estão a trabalhar e não têm de trabalhar, respeitem o apelo de contenção”, disse, afirmando que “estamos perante uma tarefa coletiva” e que “a adesão dos portugueses é massiva, mas tem de continuar”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Antes de prolongar estado de emergência, Marcelo quer ouvir os especialistas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião