PLMJ nomeia oito novos associados sénior em Portugal, Angola e Moçambique

A firma de advogados liderada por Luís Pais Antunes nomeou oito novos associados sénior. "A nomeação acontece num contexto em que o mundo atravessa um momento de dificuldade", sublinha.

A sociedade de advogados PLMJ promoveu oito advogados a associados sénior. Segundo a firma portuguesa, estão a dar continuidade ao objetivo estratégico de “promover o talento interno e reforçar a senioridade das equipas”.

“Estas promoções são o reconhecimento do extraordinário trabalho destes advogados, que representam exatamente o que queremos ver na nova geração desta casa: mentes inovadoras e arrojadas nas soluções jurídicas que constroem, espíritos verdadeiramente críticos e futuros líderes capazes de inspirar os mais novos”, nota Luís Pais Antunes, managing partner da PLMJ.

Cristiano Dias, de contencioso bancário, financeiro e societário; João Maria Mota de Campos, German Desk; Manuel Sequeira, de corporate M&A; Pedro Rosa, laboral; e Sara Lemos de Meneses, bancário, financeiro e mercado de capitais, são cinco dos novos associados sénior da firma.

As outras três nomeações surgem no âmbito da PLMJ Colab, que engloba os escritórios correspondentes da sociedade em Angola e Moçambique. Emmanuel da Silva, Elsa Tchicanha, ambos de Angola, e Natércia Sitoe, de Moçambique, passaram igualmente a associados sénior da BCSA e da TTA.

“A nomeação destes novos associados sénior acontece num contexto em que o mundo atravessa um momento de grande dificuldade, preocupação e incerteza, nos planos económico e social. Mas, independentemente das incertezas do presente, nada é mais certo do que o futuro e o futuro faz-se com as pessoas. Na PLMJ, o foco no médio e no longo prazo e a aposta no reconhecimento do talento que temos in house estarão sempre na primeira linha das nossas prioridades, por maiores que sejam as dificuldades do momento que vivemos”, refere Luís Pais Antunes.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

PLMJ nomeia oito novos associados sénior em Portugal, Angola e Moçambique

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião