Alta volatilidade em Wall Street após recorde de 6,6 milhões de desempregados numa semana

A volatilidade está instalada nas bolsas dos EUA. Os pedidos de subsídio de desemprego atingiram um recorde de 6,6 milhões na semana, atirando os índices para um dia de subidas e descidas.

Cerca de 6,6 milhões de cidadãos norte-americanos pediram subsídio de desemprego na última semana, um número recorde que eleva para perto de dez milhões o número de novos desempregados nos EUA em apenas duas semanas. Este parco desempenho do mercado laboral põe a descoberto a dimensão dos impactos económicos da pandemia do coronavírus e está a gerar grande ansiedade nos investidores.

O dia é de alta volatilidade em Wall Street, com os principais índices a alternarem rapidamente entre ganhos e perdas na ordem do meio ponto percentual. O S&P 500 arrancou o dia de negociações a cair 0,30%, prolongando as perdas de cerca de 4% registadas na sessão anterior, mas sobe agora cerca de 0,6%.

Na mesma linha, o industrial Dow Jones recuou 0,4% na abertura da sessão, mas recupera agora uns ligeiros 0,05%. Já o tecnológico Nasdaq começou por cair 0,38%, mas também inverteu e está a avançar 0,13%, para perto dos 7.943 pontos.

Contudo, o panorama nos mercados norte-americanos está a mudar praticamente a cada segundo, à medida que os investidores vão digerindo o número recorde nos pedidos de desemprego. Este dado surge depois de semanas de paralisação económica praticamente em todo o mundo, na sequência das medidas que foram tomadas para tentar travar a pandemia, incluindo em Portugal.

Pedidos de subsídio de desemprego disparam nos EUA

Fonte: Bloomberg, ING

Entre as empresas em destaque nesta sessão está a Boeing. A gigante tem vindo a desvalorizar expressivamente nas últimas sessões e cai mais 2,59% esta quarta-feira. Os títulos estão a cotar em 127,43 dólares. No setor das viagens e lazer, o destaque é uma vez mais a Carnival. A empresa de cruzeiros recua 5,57%, para 8,31 dólares.

A Zoom Video tem vindo a corrigir os ganhos expressivos registados nas últimas sessões. Depois de uma maré positiva, a empresa que gere um software de reuniões à distância derrapa agora 12,02%, para 120,46 dólares, um sinal de que não está a conseguir sustentar a valorização espoletada pelo crescimento do teletrabalho por causa do vírus.

No mercado das matérias-primas, o petróleo segue a negociar em forte alta. Os futuros do WTI recuperam 7,19%, para 21,75 dólares, reflexo do otimismo dos investidores num possível desfecho positivo do braço de ferro entre a Arábia Saudita e a Rússia. Esta subida está a gerar ganhos nas empresas do setor, como é o exemplo da subida de 2,69% dos títulos da Exxon Mobil, para 38,58 dólares por ação.

(Notícia atualizada às 15h02 com mais informações)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Alta volatilidade em Wall Street após recorde de 6,6 milhões de desempregados numa semana

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião