Tem tarifa bi-horária? Saiba que eletrodomésticos não deve ligar durante o dia para evitar disparos na fatura

Televisão e computador são os que gastam menos, enquanto as máquinas de lavar roupa e louça são os que têm mais potência e por isso pesam mais na fatura da luz.

De acordo com a Deco, as famílias que mantiverem uma tarifa bi-horária de eletricidade durante o estado de emergência por causa da pandemia de Covi-19, que obriga a estar o tempo todo em casa, podem sentir um aumento até 25 euros na conta da luz. Mesmo os consumidores com tarifa simples irão sentir o aumento na fatura. Uma família com uma potência contratada de 3,45 kVA e um consumo anual de 1.900 kWh irá pagar mais cerca de 6 euros mensais.

A Deco – Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor fez as conta e deixa o alerta: “Estar em casa o dia todo aumenta os consumos de água e energia. Quem tem tarifa bi-horária de eletricidade pode ver a sua fatura subir 25 euros mensais”. Este cenário é válido para cerca de um milhão de famílias que aderiram à tarifa bi-horária. Ou seja, neste momento que atravessamos, “a tarifa bi-horária deixa de compensar”, conclui a defesa do consumidor. Isto porque se trata de uma opção que implica diferentes tarifas consoante se gasta eletricidade nas horas de vazio (com custo mais baixo) ou nas horas fora de vazio (de custo mais elevado).

Veja-se o exemplo de “um casal e dois filhos, com uma potência contratada de 6,9 kVA e que tinham o cuidado de ter 40% dos consumos nas horas de vazio. Ao estimarmos que, não só deixa de ser possível manter 40% do consumo nas horas de vazio, como a família irá gastar mais eletricidade diariamente (cerca de 20% mais), constatámos que a fatura pode subir 25 euros por mês”.

Apenas com o efeito de transferência de consumo para fora de vazio, a fatura subiria automaticamente cerca de 10 euros, diz a Deco. “Mas como se acaba por lavar mais vezes a loiça, ter mais luzes acesas, abrir-se com maior frequência o frigorífico, por exemplo, irá haver um aumento no consumo total que estimamos que se possa traduzir em cerca de 25 euros mensais”, refere a associação, e sugere que “durante este período de crise, se estabeleça a possibilidade de estes consumidores pagarem como se tivessem a tarifa simples”.

Perante este cenário, há duas hipóteses: solicitar ao seu fornecedor de energia a mudança para a tarifa simples (é imediato e sem custos associados); ou aprender a gerir muito bem o que pode e não pode (ou não deve) ligar durante as horas do dia em que a energia que consome é mais cara.

Se tem contratada uma tarifa bi-horária, pode ter de repensar a sua situação. Se era a melhor opção para quando passava grande parte do dia fora de casa, agora pode tornar a eletricidade que paga mais cara. Ao continuar com o bi horário contratado saiba quais os eletrodomésticos que deve utilizar só durante a noite, mesmo passando o dia todo em casa. Seja consciente da potência média de cada aparelho que terá de usar durante o dia“, avisa a Selectra Portugal, empresa que se dedica a comparar os vários tarifários dos serviços de energia e telecomunicações.

Portanto, se a sua tarifa é bi-horária não deve ligar estes eletrodomésticos durante o dia:

  • Ferro de Engomar – 1750 watts
  • Maquina Lavar Roupa – 2250 watts
  • Maquina Lavar Loiça – 2500 watts

O que convém ter ligado:

  • Televisão – 50 watts
  • Computador – 250 watts
  • Microondas – 1200 watts

“Se preferir, pode também mudar a sua tarifa bi-horária para uma com um ciclo horário simples. Essa alteração não implica a mudança de comercializadora mas pode aproveitar esse momento para comparar preços de outras empresas de energia e comparar o seu contrato com outras tarifas do mercado de eletricidade”, remata a Selectra.

Simples, bi-horária ou tri-horária: Como escolher a melhor tarifa?

Diz o site Fatura Amiga, um projeto da Deco com o apoio da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) que, para começar, “deverá perceber qual a tarifa que utiliza na sua casa e se esta é a mais adequada aos seus hábitos de consumo“.

A tarifa é o preço que terá de pagar ao seu comercializador pelo serviço de fornecimento de eletricidade que irá beneficiar. Por norma, os comercializadores de eletricidade disponibilizam três tarifas, com diferentes preços a pagar pela eletricidade consumida e pela potência contratada.

Na tarifa simples paga sempre o mesmo pela eletricidade que consome, independentemente do dia e hora (todos os dias da semana e em qualquer época do ano), enquanto na tarifa bi-horária ou tri-horária a eletricidade consumida tem dois ou três preços associados conforme a hora e o dia, de acordo com os diferentes períodos horários. Ao optar por uma destas duas tarifas deverá também optar entre o ciclo diário (no qual os períodos horários são iguais em todos os dias do ano) e o ciclo semanal (no qual os períodos horários diferem entre dias úteis e fim de semana, e em função da época do ano).

Os períodos horários têm também como função gerir a pressão sobre o sistema elétrico, sendo que os períodos com menor procura de eletricidade têm um menor preço associado e como tal nos períodos com maior procura a eletricidade é mais cara. Caso tenha optado pela tarifa bi-horária terá dois períodos horários a considerar: horas de vazio (menor procura, preço, preço mais barato, durante a noite e fins de semana); e fora de vazio (outros períodos do dia em que o consumo de eletricidade é normalmente superior e, por isso, mais caro).

Com a tarifa tri-horária terá de considerar na mesma as horas de vazio (menor procura de eletricidade), somar as horas de ponta (maior procura) e ainda as horas cheias (outros períodos, com preço intermédio).

A melhor opção horária varia de acordo com o nível de consumo de eletricidade, o horário preferencial de consumo, a capacidade de adaptar os consumos à opção contratada, entre outros.

  • A tarifa simples é ideal para quem tem os consumos repartidos ao longo do dia, ou cujo consumo a partir das 22h é inferior a 20% do total do seu consumo diário.
  • Já a tarifa bi-horária adequa-se a quem tem mais de 40% dos consumos diários entre as 22h e as 8h. Se o seu consumo de energia é mais elevado após as 22h (por exemplo, se usa máquinas de lavar/secar roupa ou forno elétrico a partir dessa hora) poderá considerar a opção bi-horária.
  • Por último, a tarifa tri-horária é a mais acertada para quem tem mais de 20% dos consumos diários entre as 22h e as 8h e não consome nos períodos 9h00-10h30 e 18h00-20h30, uma vez que a tarifa nesses períodos é mais elevada.
Fonte: Fatura Amiga

Além de ter em conta a melhor hora do dia para os ligar, a certificação energética dos eletrodomésticos é também uma boa forma de conseguir poupar ao final de cada mês, já que consomem menos do que aparelhos mais antigos e menos eficazes. Por isso, deve comprar eletrodomésticos com uma certificação energética igual ou superior a A+, recomenda a Selectra Portugal.

Já a Keep Warranty, uma app que serve para guardar garantias de forma digital, dá também algumas dicas para poupar os seus eletrodomésticos, agora que vai passar mais tempo em casa. “Em altura de isolamento e com toda a família toda em casa, é normal que os eletrodomésticos lá de casa acabem por ter muito mais uso. O frigorífico é aberto muito mais vezes, a televisão liga e desliga vezes sem conta e as máquinas de lavar louça e roupa são usadas com mais frequência” refere a Keep Warranty.

Siga estas dicas:

Reforce a limpeza
Para além de ser essencial, para evitar contaminações, a limpeza é o primeiro passo para garantir a longevidade dos seus eletrodomésticos. A limpeza frequente, sem deixar acumular gordura e sujidade, faz com que não seja necessária a utilização de detergentes mais fortes ou esponjas que danifiquem os aparelhos.

Respeite as instruções dos eletrodomésticos
Com o tempo, deixamos de respeitar regras básicas da utilização dos eletrodomésticos. Quantas vezes a louça segue para a máquina ainda com restos de comida ou colocamos calças com moedas nos bolsos na máquina de lavar roupa? Agora que os seus eletrodomésticos estão a ser utilizados com mais frequência, tente ter especial cuidado em seguir as instruções.

Modere a frequência da utilização
Antes de fazer o jantar, pense em tudo o que vai precisar de tirar do frigorífico. Antes de lavar a roupa, veja se ainda pode juntar mais algumas peças. Antes de lavar a louça, veja se a máquina está cheia. Isto vai ajudar não só a poupar o seu eletrodoméstico mas também a poupar na energia.

Armazene pequenos eletrodomésticos em locais seguros
Muitas vezes, temos pequenos eletrodomésticos à vista para que estejam mais à mão. Mas a casa de banho e a cozinha são geralmente espaços com humidade e gordura, que podem danificá-los. Conservar os eletrodomésticos em armários fechados pode ajudar a mantê-los durante mais tempo.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tem tarifa bi-horária? Saiba que eletrodomésticos não deve ligar durante o dia para evitar disparos na fatura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião