Trabalhadores independentes em paragem total vão receber apoio a 28 de abril

Os trabalhadores independentes que entre 1 e 15 de abril pediram à Segurança Social o apoio extraordinário vão recebê-lo na próxima terça-feira, dia 28 de abril.

A Segurança Social deverá pagar já na próxima semana o apoio extraordinário aos trabalhadores independentes que tenham ficado totalmente sem trabalho por causa da pandemia de coronavírus. De acordo com os “recibos verdes” ouvidos pelo ECO, na Segurança Social Direta já está disponível o valor final a receber, aparecendo indicada como data de previsão do pagamento o dia 28 de abril. Essa informação foi, além disso, confirmada ao ECO pelo próprio Ministério do Trabalho.

Face ao surto de Covid-19, o Governo preparou uma série de apoios para as empresas e para os trabalhadores, incluindo uma ajuda extraordinária para os trabalhadores independentes mais afetados por esta crise pandémica.

Apesar de este apoio abranger atualmente tanto os “recibos verdes” em paragem total, como aqueles que tenham tido uma redução significativa da sua faturação mas continuem a trabalhar, este mês só receberão a prestação em causa os primeiros, esclareceu a Segurança Social. Isto porque o alargamento a esse segundo grupo entrou em vigor só em abril, não tendo efeitos retroativos a março, mês a que se refere a ajuda a receber este mês.

De acordo com a informação disponível na Segurança Social Direta, é expectável que o pagamento desse apoio ocorra na próxima terça-feira, dia 28 de abril, data em que o Estado também prevê pagar aos empregadores em lay-off.

Esta ajuda corresponde ao valor da remuneração registada como base de incidência contributiva (média dos últimos 12 meses), com o limite máximo do valor de um Indexante dos Apoios Sociais (438,81 euros). Para ter acesso a este apoio, o trabalhador independente tem de não só ter estado em paragem total em março, mas também contar com descontos em três meses consecutivos ou seis meses interpolados, nos últimos 12 meses.

No próximo mês, a Segurança Social já deverá pagar apoios extraordinários também aos trabalhadores independentes com uma quebra significativa da sua faturação, em abril, e aos sócios-gerentes sem trabalhadores dependentes. Os formulários de acesso a essa ajuda foram disponibilizados esta segunda-feira.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trabalhadores independentes em paragem total vão receber apoio a 28 de abril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião