CTT em destaque na bolsa. Lisboa segue Europa em recuperação

A tendência de recuperação prossegue nas bolsas europeias, incluindo na portuguesa. CTT destacam-se depois de registarem uma queda ligeira nos lucros de um trimestre marcado pela pandemia.

As bolsas europeias estão a registar ganhos modestos, à medida que mais empresas vão apresentando as contas relativas ao primeiro trimestre de 2020. Os investidores estão atentos a sinais que lancem mais luz sobre o impacto económico provocado pela pandemia e que permitam avaliar melhor que tipo de recessão se ergue no horizonte.

Depois de uma sessão de ganhos nos mercados asiáticos perante a informação de que as exportações chinesas se revelaram mais fortes do que o esperado, o Stoxx 600 está a beneficiar de algum otimismo, registando uma subida de 0,36%. Os índices alemão, britânico, francês e espanhol seguem a mesma tendência, com ganhos entre 0,38% e 0,60%. Em Portugal, o PSI-20 avança 0,23%, para 4.194,82 pontos, suportado na valorização de alguns “pesos pesados” da bolsa de Lisboa.

É o caso da EDP Renováveis, que valoriza 1,09%, para 11,12 euros por ação, depois de se saber que a empresa produziu menos energia mas que os lucros subiram 2% no trimestre, para 62 milhões de euros. Enquanto isso, o BCP soma 0,42%, para 9,59 cêntimos, a Galp Energia ganha 0,34%, para 10,185 euros, e a Corticeira Amorim regista o melhor desempenho da sessão, com um avanço de 2,17%, para 9,41 euros.

Mas os CTT destacam-se com uma valorização de 2,11%, para 2,18 euros, um desempenho registado depois de a empresa postal ter revelado que o lucro do primeiro trimestre desceu ligeiramente, na ordem dos 0,4%, para 3,7 milhões de euros. Cenário diferente no caso da Nos, que perde 1,75%, para 3,26 euros, depois de se saber que o coronavírus atirou a operadora para prejuízos de 10,4 milhões de euros, um resultado que compara com os lucros de 42,5 milhões registados no mesmo período do ano passado.

Evolução das ações dos CTT em Lisboa

Esta quinta-feira espera-se ainda que EDP e REN apresentem resultados trimestrais, sendo já certo que, em março, foi registada uma redução do consumo de eletricidade por causa da pandemia. A elétrica nacional valoriza 0,31%, para 3,912 euros, enquanto a REN perde 0,41%, para 2,43 euros cada título.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CTT em destaque na bolsa. Lisboa segue Europa em recuperação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião