Covid-19: Índice de confiança económica do ISEG volta a descer em abril

  • Lusa
  • 15 Maio 2020

O índice de confiança do ISEG, faculdade de economia e gestão da Universidade de Lisboa, voltou a descer em abril, para 25,0, devido à pandemia de covid-19, depois de ter registado 25,6 em março.

O índice de confiança do ISEG, faculdade de economia e gestão da Universidade de Lisboa, voltou a descer em abril, para 25,0, devido à pandemia de Covid-19, depois de ter registado 25,6 em março, segundo informação esta sexta-feira divulgada.

“Em abril de 2020, na sequência do surto da epidemia Covid-19, o índice de confiança do ISEG, relativo à evolução da atividade económica portuguesa no curto prazo, assumiu o valor de 25,0″, pode ler-se pela nota divulgada hoje pelo ISEG.

De acordo com a instituição universitária, o valor “corresponde a uma descida da confiança relativamente ao mês anterior, em que o valor do índice foi de 25,6, e aprofunda a grande descida da confiança registada em março”, depois de 34,4 em fevereiro.

Em termos homólogos a variação do índice foi de -28,4%. Manteve-se o consenso dos membros do Painel relativamente à evolução económica”, assinala ainda o ISEG.

O índice de confiança varia entre zero (confiança mínima) e 100 (confiança máxima), e “é atribuído por um painel de 16 professores do ISEG com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes do ISEG“.

Em 06 de maio, o ISEG tinha estimado uma quebra do PIB, em termos homólogos, entre 0,5% e 1,0% no primeiro trimestre, mas de acordo com a estimativa rápida divulgada hoje pelo INE, a recessão no primeiro trimestre foi de 2,4%.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Covid-19: Índice de confiança económica do ISEG volta a descer em abril

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião