António Mexia diz que o Ministério Público lhe quer “acertar o passo”

  • ECO
  • 29 Maio 2020

Os inquéritos aos presidentes executivos da EDP e da EDP Renováveis podem levar ao agravamento das medidas de coação aplicadas.

O presidente executivo da EDP, António Mexia, e Manso Neto, presidente executivo da EDP Renováveis, vão ser ouvidos no âmbito do caso EDP, devido ao aparecimento de novas informações. A defesa dos líderes das energéticas argumenta que o MP quer “acertar o passo” aos arguidos, avança o Correio da Manhã (acesso pago).

Os inquéritos, a 2 e 3 de junho, podem levar ao agravamento das medidas de coação já aplicadas. A defesa de Mexia e Manso Neto acusa o MP de mostrar “mão pesada sem qualquer justificação”, apontando que não existem factos novos e que ambos não mudaram rotinas desde 2017, quando foram constituídos arguidos.

Cabe ao juiz de instrução, Carlos Alexandre, decidir que medidas de coação serão aplicadas aos arguidos. A mais gravosa que poderá ser determinada é a suspensão de funções de ambos enquanto CEO da EDP e da EDP Renováveis, medida que levaria a mudanças dentro da orgânica da empresa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

António Mexia diz que o Ministério Público lhe quer “acertar o passo”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião