Combater a pobreza energética custa 384 milhões por ano

  • ECO
  • 1 Junho 2020

O combate à pobreza energética deverá ser feito através do isolamento térmico de fachadas e coberturas e da substituição de vãos envidraçados por caixilhos de PVC com vidro duplo.

O Governo estima que para combater a pobreza energética em Portugal seriam necessários 7.671 milhões de euros até 2040. De acordo com o Público (acesso pago), estimam-se que haja atualmente cerca de dois milhões de portugueses a viver em situação de precariedade energética.

Fazendo as contas, seriam precisos 7.671 milhões até 2040, o equivalente a 384 milhões de euros por ano, dinheiro gasto no isolamento térmico de fachadas e coberturas e da substituição de vãos envidraçados por caixilhos de PVC com vidro duplo. O Governo considera que as poupanças em aquisição de energia permitirão um retorno do investimento de 112 mil milhões de euros nos edifícios residenciais “ao fim de 30 anos”.

Estas conclusões fazem parte da Estratégia de Longo Prazo para a Renovação dos Edifícios (ELPRE), um dos instrumentos de política de energia e clima que Portugal tem de apresentar à Comissão Europeia, e foram calculadas por um grupo de trabalho criado pelo Governo, composto por elementos da Direção-Geral de Energia e Geologia (DGGE), da Agência para a Energia (Adene) e do Instituto Superior Técnico (IST).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Combater a pobreza energética custa 384 milhões por ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião