Hoje nas notícias: Banco de Portugal, IES e lóbi

  • ECO
  • 17 Junho 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

Num dia em que as capas dos jornais estão dominadas pela tragédia de Pedrógão, há três anos, a sucessão do governador do Banco de Portugal continua a marcar presença, com a notícia de que o candidato ao lugar — Mário Centeno — escolheu a equipa que o fiscaliza. A nova chave de encriptação de dados das empresas, o índice de contágio de Covid-19 e o turismo do Norte também estão entre os principais destaques. E ainda o vereador da Câmara da Maia que assumiu lóbi para ganhar concursos.

Centeno nomeou equipa que fiscaliza o Banco de Portugal

O ex-ministro das Finanças, Mário Centeno, escolheu os nomes do conselho de auditoria que tem como objetivo avaliar o trabalho do governador do Banco de Portugal. Este conselho integra três membros, todos designados por Centeno: Nuno Fernandes como presidente, Óscar Figueiredo e Margarida Vieira de Abreu. Se Centeno for o próximo governador do Banco de Portugal, este conselho de auditoria irá controlar o trabalho de quem o nomeou, o que pode representar um conflito de interesses. Leia a notícia completa no Público (acesso condicionado).

Casa da Moeda vai ter “chave” dos dados das empresas

O envio de Informação Empresarial Simplificada (IES) às Finanças vai ter um novo mecanismo de encriptação que faz com que o Fisco não tenha acesso imediato à informação de que não precisa. O sistema, que não tem custos adicionais para as empresas, será disponibilizado pela Casa da Moeda, que fica responsável por guardar essa chave de desencriptação para ceder a informação à Autoridade Tributária quando necessário. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (link indisponível).

Vereador da Câmara da Maia assume lóbi para ganhar concursos

O vereador da Câmara da Maia, Francisco Vieira de Carvalho, assumiu em tribunal que fez lóbi junto de vários contactos. Pretendia que uma empresa para a qual prestava serviços de consultoria fosse adjudicada para empreitadas, algumas através de concursos públicos. Os juízes do Porto dizem que postura de Francisco Vieira de Carvalho poderá estar ligada a eventual tráfico de influências. Leia a notícia completa no Correio da Manhã (acesso pago).

Portugal é dos países europeus com menor índice de contágio

Portugal está entre os países europeus com índice de contágio de Covid-19 mais baixos, segundo a projeção do Imperial College. A mesma análise tinha colocado o país, no final de maio, entre os piores indicadores europeus. Mas a situação alterou-se, numa altura em que há 37.336 pessoas infetadas no país e a região de Lisboa e Vale do Tejo é a principal preocupação. Nunca houve tantas pessoas sob vigilância em Portugal como agora. Leia a notícia completa no i (link indisponível).

“Linha do Douro é absolutamente estratégica para turismo do Norte”

A região Norte está a apostar nos comboios para desenvolver o turismo, após a pandemia. Estão previstas novas locomotivas que permitem que os turistas contemplem a paisagem do Douro Vinhateiro e está a ser estudada uma parceria com os espanhóis de Castela e Leão para promover o património classificado pela Unesco, segundo explicou Luís Pedro Martins, líder da entidade regional de turismo do Porto e Norte de Portugal. Defende ainda a reativação da linha do Douro até Salamanca. Leia a entrevista completa no Dinheiro Vivo (acesso livre).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Banco de Portugal, IES e lóbi

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião