Microsoft vai encerrar todas as suas lojas físicas no mundo

  • Lusa e ECO
  • 26 Junho 2020

A Microsoft anunciou uma "mudança estratégica nas suas operações de retalho, concluindo o encerramento das lojas físicas". Tecnológica prevê reinventar os espaços que servem os clientes.

A Microsoft anunciou esta sexta-feira uma “mudança estratégica” nas suas operações de retalho, que inclui o fecho de todas as lojas físicas da marca a nível global.

A tecnológica, de acordo com a AP, tem 83 lojas em todo o mundo, incluindo 71 nos Estados Unidos e várias outras fora, onde apresentam e vendem portáteis e hardware.

Tal como outros retalhistas tecnológicos, a Microsoft teve de encerrar temporariamente todas as suas lojas no final de março devido à pandemia de Covid-19. Em comunicado no seu site, a Microsoft anunciou uma “mudança estratégica nas suas operações de retalho, concluindo o encerramento das lojas físicas”.

Os membros da equipa de retalho da tecnológica “continuarão a atender clientes a partir das instalações” da Microsoft e “a fornecer vendas, formação e suporte”, refere a empresa fundada por Bill Gates. “A Microsoft continuará a investir” nas suas montras digitais na Microsoft.com e nas lojas Zbox e Windows, atingindo mais de 1,2 mil milhões de pessoas por mês em 190 mercados, acrescenta.

A única exceção serão quatro “lojas” que se manterão de portas abertas, mas mesmo estas serão alvo de remodelação e deixarão de vender produtos. A tecnológica prevê reinventar os espaços que servem os clientes, incluindo em Londres, Nova Iorque, Sidney e Redmond, transformando-os em centros de experiências.

O fecho das lojas físicas resultará num custo antes de impostos de cerca de 450 milhões de dólares (cerca de 400,7 milhões de euros), que será registado no corrente trimestre que termina em 30 de junho, refere a empresa.

“As nossas vendas cresceram online à medida que o nosso portefólio de produtos evolui para ofertas amplamente digitais”, afirma o vice-presidente ‘corporate’ da Microsoft, David Porter, citado em comunicado. “A nossa talentosa equipa foi bem-sucedida em atender clientes além de qualquer local físico”, acrescentou. “Agradecemos aos clientes da Microsoft Store [lojas] e esperamos continuar a servi-los online e com a nossa equipa de vendas de retalho nas nossas instalações corporativas”, rematou.

(Notícia atualizada às 17h33 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Microsoft vai encerrar todas as suas lojas físicas no mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião