Abreu Advogados assessora venda da Greenyard Logistics Portugal

  • ADVOCATUS
  • 7 Julho 2020

A firma portuguesa Abreu Advogados assessorou o grupo Greenyard na venda da sua participação na Greenyard Logistics Portugal. A coordenação ficou a cargo do sócio contratado Hugo Teixeira.

A Abreu Advogados assessorou o grupo Greenyard na venda da sua participação na Greenyard Logistics Portugal, através de um management buyout (MBO). A sociedade de advogados portuguesa foi responsável pela assessoria local da operação pelo lado dos vendedores, gerida internacionalmente pela sociedade de advogados belga, Monard Law.

A operação foi coordenada por Hugo Teixeira, sócio contratado da Abreu Advogados, com o suporte de José Carlos Vasconcelos e Assunção Vassalo, respetivamente sócio contratado e associada, em todos os aspetos de corporate e M&A. Contou ainda com a participação dos advogados Alexandra Courela, sócia em relação a temas fiscais, e Patrícia Viana, sócia, e Ana Flor, sócia contratada em assuntos de direito imobiliário.

A transação, concluída no final de junho, assegurou a venda da Greenyard Logistics Portugal que passa a ser detida pela atual equipa de gestão, Vitor Figueiredo e Manuel Rodriguez, que mantêm, respetivamente, os seus atuais cargos, de administrador e responsável de operações. Para esta operação, contaram com o suporte da Vallis Capital Partners, uma sociedade independente de gestão de fundos e investimentos de private equity.

A Greenyard, presente em Portugal desde 2001, opera no mercado de prestação de serviços logísticos e de transportes de produtos alimentares, com maior incidência nos produtos alimentares perecíveis, e na Importação e Comercialização de Frutas e Hortícolas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Abreu Advogados assessora venda da Greenyard Logistics Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião