Mercadona doa 400 toneladas de bens essenciais a instituições portuguesas

A Mercadona doou 400 toneladas em bens essenciais a diversas entidades socais, como o Banco Alimentar Contra a Fome, Cáritas e Cruz Vermelha.

Entre janeiro e junho deste ano, a Mercadona já doou 400 toneladas de bens essenciais a diversas instituições sociais em Portugal, entre o Banco Alimentar Contra a Fome, a Cruz Vermelha, a Cáritas e outras instituições particulares de solidariedade social.

“Desde que chegámos ao país, o compromisso com a sociedade portuguesa sempre foi uma constante. É com muito orgulho que vimos este esforço refletido num total de 400 toneladas de produtos que, certamente, farão a diferença aos muitos portugueses que se viram afetados pela crise”, refere Elena Aldana, diretora geral internacional de relações externas da Mercadona, citada em comunicado.

No mês de junho, além das doações habituais, a cadeia de supermercados destaca a entrega de 30 mil litros de leite aos Bancos Alimentares do Porto, Braga e Aveiro, e a várias delegações da Cruz Vermelha Portuguesa no norte do país.

A cadeia de supermercados espanhola que conta com 12 lojas em Portugal, colabora diretamente a partir das suas lojas com cantinas sociais de proximidade. Trata-se de uma colaboração diária, de segunda a sexta-feira, que consiste na entrega de bens essenciais.

Em Portugal, quando abrimos uma nova loja, esta tem já associada uma cantina social local à qual se doarão diariamente produtos. Foi este o caso na abertura das novas lojas Mercadona em Aveiro e Santo Tirso, com a Florinhas do Vouga e ASAS – Associação de Solidariedade e Ação Social de Santo Tirso, que puderam começar a beneficiar de doações diárias desde o primeiro dia de funcionamento destas respetivas lojas”, explica a empresa em comunicado.

Segundo a cadeia espanhola o objetivo desta iniciativa é reduzir o desperdício alimentar e contribuir para melhorar o dia-a-dia das comunidades onde se inserem cada uma das lojas Mercadona em Portugal.

Desde o início do ano, a Mercadona já doou um total de 7.800 toneladas de alimentos, das quais 400 em Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mercadona doa 400 toneladas de bens essenciais a instituições portuguesas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião