Cristina Ferreira explica regresso à TVI: “É um projeto ambicioso ao qual era impossível dizer não”

A 'senhora televisão' deu a liderança das audiências à SIC em meia dúzia de meses e, agora, vai regressar à TVI. Vai ser diretora de programas, administradora e acionista da Media Capital.

Há uma transferência-surpresa na televisão. Cristina Ferreira vai regressar à TVI e começa no dia 1 de setembro. Cerca de dois anos depois de ter saído para a SIC, em agosto de 2018, e de ter garantido ao canal da Impresa a liderança das audiências, a “senhora televisão” regressa à casa. Vai ser diretora de Entretenimento e Ficção, e também deverá vir a ser acionista da Media Capital, apurou o ECO.

A decisão já foi confirmada oficialmente pela apresentadora. É “um regresso à casa mãe, com funções distintas e um projeto ambicioso ao qual era impossível dizer não”, refere Cristina Ferreira em comunicado.

A Media Capital também já confirmou esta contratação e a possibilidade de vir a ser acionista. “Sabemos que a Cristina Ferreira manifestou já junto da Prisa a intenção de adquirir uma participação no capital social da empresa; a concretizar-se, esse facto reforçará a ligação de Cristina ao Grupo e dará um significado ainda mais profundo a este regresso à TVI”, afirmou Manuel Alves Monteiro, administrador delegado da Media Capital, em comunicado.

Cristina Ferreira, já é oficial, vai ser diretora de Entretenimento e Ficção e também vai liderar a subsidiária Plural, e, como acionista, vai entrar também na administração da empresa.

A TVI liderava as audiências há 12 anos, mas no início de 2019, o “efeito-Cristina” mudou a liderança da televisão em Portugal. O canal do grupo de Balsemão conseguiu, em fevereiro, bater a concorrência de Queluz de Baixo, conquistando a preferência dos telespetadores. A SIC fechou o ano de 2019 com um share médio de 19,2%, sagrando-se líder das audiências televisivas, uma quota que compara com os 15,6% da TVI e os 12,5% da RTP1.

Os resultados económico-financeiros das duas televisões refletiram esta mudança de audiências. A dona da SIC encerrou o ano passado com um lucro de 7,8 milhões de euros, uma subida de 150% face a 2018, enquanto a Media Capital, empresa que controla a TVI, registou prejuízos de quase 55 milhões de euros em 2019.

Semanas de mudanças

A contratação de Cristina Ferreira é uma “bomba” no meio televisivo, mas é também mais um das várias mudanças nas últimas duas semanas na Media Capital, empresa controlada em 64% pela Prisa e que tem como acionistas de referência Mário Ferreira (cerca de 30%) e o Abanca (5%).

Recentemente, Sérgio Figueiredo deixou de ser diretor de Informação da TVI e, já esta quinta-feira, Luís Cabral anunciou a sua renúncia ao cargo de administrador-delegado, sendo substituído por Manuel Alves Monteiro, até agora administrador não executivo. Posteriormente, foi anunciado que Nuno Santos passava a diretor-geral da TVI e aguarda-se a nomeação de um diretor de informação (Pedro Pinto é diretor interino), que deverá ser conhecido nos próximos dias.

O comunicado de Cristina Ferreira…

Cristina Ferreira regressa à TVI como Diretora de Entretenimento e Ficção, tendo já manifestado a sua intenção de compra de participação na Media Capital, com o intuito de vir a tornar-se também acionista do canal televisivo. O regresso de Cristina à casa de origem acontece dois anos depois da sua saída, prevendo-se o início de funções a 1 de setembro de 2020”.

Sobre este momento, Cristina Ferreira afirma: “Trata-se de um regresso à casa mãe, com funções distintas e um projeto ambicioso ao qual era impossível dizer que não. É uma escolha conduzida pelo afeto com a firme vontade de contribuir para recolocar a TVI no coração de todos os portugueses.” Cristina mostrará novas facetas da sua atividade profissional, para além da conhecida enquanto apresentadora.

…e o comunicado da Media Capital

“É com grande satisfação que a Media Capital dá conhecimento público que a TVI acaba de acordar com Cristina Ferreira a sua contratação como Diretora de Entretenimento e de Ficção”, refere o comunicado.

“Este regresso à sua casa de sempre enche-nos de satisfação. Cristina Ferreira é querida dos portugueses e esta contratação reforça a estratégia do Grupo Media Capital de estar mais próximo das suas audiências, enriquecendo as áreas de Entretenimento e de Ficção do Canal”, afirmou Manuel Alves Monteiro, Administrador Delegado do Grupo Media Capital.

“Sabemos que a Cristina Ferreira manifestou já junto da Prisa a intenção de adquirir uma participação no capital social da empresa; a concretizar-se, esse facto reforçará a ligação de Cristina ao Grupo e dará um significado ainda mais profundo a este regresso à TVI”, acrescentou. Cristina Ferreira iniciará funções no próximo dia 1 de setembro de 2020.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Cristina Ferreira explica regresso à TVI: “É um projeto ambicioso ao qual era impossível dizer não”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião