Projetos verdes da UE podem representar até 1 bilião de euros em investimentos

  • ECO
  • 17 Julho 2020

Cerca de 30% dos projetos destacados pela EY estão a ser desenvolvidos por startups e PME com foco na mobilidade do futuro, hidrogénio verde e materiais de construção de baixo carbono.

Mais de mil projetos ligados ao clima podem ser elegíveis para o pacote de recuperação da União Europeia, segundo uma pesquisa citada pela Reuters, que será publicada em setembro. Estes projetos apoiariam dois milhões de postos de trabalho, com investimentos que rondariam os 200 mil milhões de euros.

No entanto, Os 1.000 projetos destacados representam apenas cerca de 10% dos projetos verdes atualmente em desenvolvimento na Europa, afirmou a EY. O que significa que todo o portfólio de projetos verdes da UE pode representar até 1 bilião de euros em investimentos e substituir pelo menos os 12 milhões de empregos perdidos durante a pandemia.

A pesquisa, encomendada pela European Climate Foundation, foi realizada pela consultoria EY. De acordo com a Reuters, os projetos a apoiar — que podem ser lançados dentro de dois anos, se receberem financiamento — cobrem as áreas de energias renováveis, armazenamento de energia, renovação de edifícios, transportes de baixo carbono, entre outras.

São exemplos a HYBRIT — uma joint venture entre a empresa siderúrgica SSAB, a empresa de mineração LKAB e a elétrica Vattenfall — para substituir o carvão metalúrgico por hidrogénio verde na produção de aço na Suécia, que requer um financiamento de 1,5 a 2 mil milhões de euros, disse Steve Varley, vice-presidente global de sustentabilidade da EY.

Outro projeto é o da empresa coreana de produtos químicos LG Chem, para desenvolver uma gigafactory para produzir baterias de iões de lítio para veículos elétricos em Cracóvia, na Polónia. Um terceiro exemplo diz respeito plano do governo francês para tornar os edifícios de Paris mais eficientes em termos energéticos.

Cerca de 30% dos projetos destacados pela EY estão a ser desenvolvidos por startups e pequenas e médias empresas com foco na mobilidade do futuro, hidrogénio verde e materiais de construção de baixo carbono. Mais de 20% são de pequena escala e requerem investimentos até cinco milhões de euros.

A partir desta sexta-feira os líderes europeus estão reunidos em Bruxelas para chegarem a acordo sobre o Fundo de Recuperação europeu e o Quadro Financeiro Plurianual (QFP), que esta semana foram bastante criticados por um conjunto de ambientalistas por ficarem aquém das metas ambientais da UE, que tem como objetivo reduzir as emissões de gases de efeito de estufa em pelo menos 40% até 2030.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Projetos verdes da UE podem representar até 1 bilião de euros em investimentos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião