Portugal entre os 20 maiores produtores de calçado do mundo

Apesar de 2019 ter sido ano de abrandamento a nível mundial, a indústria de calçado produziu 24,3 mil milhões de pares de sapatos, o que representa um novo recorde. Portugal é o 19.º maior produtor.

O ano de 2019 foi marcado por um abrandamento mundial na indústria do calçado, com o setor a apresentar um crescimento marginal de 0,6%. Contudo, mesmo com esta desaceleração, a produção alcançou um recorde de 24,3 mil milhões de pares, de acordo com dados dados do World Footwear Yearbook 2020 da Associação Portuguesa de Calçado (APICCAPS), que coloca Portugal na 19.ª posição da lista dos maiores produtores.

Nos últimos dez anos, a produção mundial do setor cresceu 21,2% e as exportações globais aumentaram 10,6% em volume e 59,1% em valor. Porém, segundo o relatório, este novo recorde de 24,3 mil milhões de pares registado em 2019 deverá “durar alguns anos” por causa da pandemia.

No que respeita a Portugal, a indústria de calçado produziu 76 milhões de pares de sapatos em 2019, um número que posiciona o país novamente no ranking dos 20 maiores produtores mundiais. Ficou em 19.º lugar na tabela dos maiores exportadores em volume. A nível de consumo, a Alemanha, França e Reino Unido são os únicos países europeus nesta lista dos maiores consumidores de calçado a nível munida. A China lidera a tabela, seguida da Índia e EUA.

A indústria do calçado continua a estar fortemente concentrada na Ásia, onde quase nove em cada dez pares de sapatos são fabricados no continente asiático.

Segundo os dados agora conhecidos, o calçado têxtil representa um terço de todo o calçado comercializado no mundo: “O aumento abrupto da importância do calçado têxtil tem sido a característica mais notável da evolução do internacional comércio de calçado durante a última década”, lê-se no documento.

Tanto o calçado de borracha e plástico como o de couro perderam quota para os têxteis. Todavia, o calçado de borracha e plástico ainda representam quase metade (47,5%) do volume de todo o calçado exportado a nível mundial.

Europa ganha quota de mercado

No ano passado, foram exportados 15 mil milhões de pares, o que representa 62% da produção, sendo que a maioria das exportações advém da Ásia com uma quota mundial de 83,9%. A China lidera a tabela, seguida do Vietname e da Indonésia. A Alemanha ocupa o 4.º lugar e a Itália o 8.º lugar do ranking.

Apesar desta quota, ao longo da última década, as exportações da Ásia diminuíram ligeiramente, contrariamente ao continente europeu que viu nos últimos dez anos, a sua quota nas exportações globais aumentar em 2,6 pontos percentuais.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Portugal entre os 20 maiores produtores de calçado do mundo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião