Do hotel ao camping, das bolas de Berlim ao protetor solar. 12 dicas de reciclagem para o verão

A Sociedade Ponto Verde lançou a campanha “Reciclar faz parte do verão. Reciclar faz parte da solução”, com várias dicas para manter as boas práticas em época de verão.

Nos primeiros cinco meses do ano, a Sociedade Ponto Verde (SPV) enviou para reciclagem 130 mil toneladas de embalagens, o equivalente ao peso de 430 aviões. Estes númerosdemonstram que os comportamentos dos portugueses face à reciclagem mantiveram-se positivos, apesar do contexto desafiante colocado pela pandemia e pelo período de confinamento”, considera a entidade gestora de resíduos.

Com o verão já a meio e muitos portugueses de férias “cá dentro”, neste mês de agosto é fundamental que a separação de resíduos e a deposição nos respetivos ecopontos continue, mesmo em tempo de descanso e pausa para carregar baterias, diz a SPV. De acordo com Ana Isabel Trigo Morais, CEO da Sociedade Ponto Verde, os resultados conseguidos entre janeiro e maio de 2020 “devem servir como incentivo no desconfinamento, agora que os espaços abrem portas a um maior consumo fora de casa”.

A pensar nisso, a SPV lançou a campanha de sensibilização “Reciclar faz parte do verão. Reciclar faz parte da solução”, com várias dicas para a reciclagem em época de verão, desde regras para as embalagens mais típicas como os protetores solares e os papéis das bolas de Berlim, até conselhos sobre o que fazer no campismo, em casas de férias ou até num hotel.

“Sabemos que, com a chegada do verão e, principalmente das férias, é normal existir um relaxamento de alguns dos hábitos que as pessoas têm já como regulares no seu dia-a-dia. Mas não queremos que exista esse relaxamento no que toca à reciclagem porque é importante que os portugueses saibam que podem e devem reciclar todos os dias e em todos os lugares. Com esta nova campanha de verão queremos não só ajudar os consumidores a saber como proceder com embalagens específicas desta época, mas também relembrá-los da importância de hábitos contínuos de reciclagem”, afirma por seu lado Teresa Cortes, gestora de marketing e comunicação da SPV.

Desfaça “mitos” e conheça 12 dicas de reciclagem para o verão

  1. Se optou por alugar uma casa de férias, faça tal e qual como na sua residência habitual: crie um ecoponto doméstico, separe as embalagens e depois coloque-as no ecoponto de rua mais próximo.
  2. Se está num hotel ou outro alojamento semelhante, procure saber se a unidade hoteleira dispõe de recolha seletiva e sistema de reciclagem.
  3. O mesmo se aplica se estiver a acampar. Se não houver ecoponto no parque de campismo, guarde as suas embalagens e depois deposite-as num ecoponto de rua.
  4. As latas de refrigerantes e garrafas de plástico de água devem ser colocadas no ecoponto amarelo. O mesmo destino devem ter os pacotes de leite, de sumo e as embalagens dos iogurtes, sejam sólidos ou líquidos.
  5. Se optar por cerveja ou um vinho, bebidas tipicamente servidas em garrafas de vidro, deve depositá-las no ecoponto verde.
  6. No caso de refeições improvisadas à base de atum ou de salsichas, guarde as latas e coloque-as no ecoponto amarelo. Não precisa de as lavar.
  7. As embalagens de plástico de protetor solar, e outros produtos de cosmética típicos do verão, também dever seguir completas para o ecoponto amarelo. Tampa incluída.
  8. Quanto aos frascos de álcool gel, para desinfetar as mãos, assim que estejam vazios podem ser reaproveitados e reabastecidos, ou então colocados no ecoponto amarelo.
  9. A lista das embalagens que não podem ser recicladas começa com as bolas de Berlim. Na praia são um snack quase obrigatório, mas o papel que as embrulha deve ir para o lixo comum, por estar contaminado com gordura.
  10. O mesmo se aplica às caixas de pizzas: não devem ser colocadas no ecoponto azul porque a gordura inviabiliza a reciclagem do papel/cartão que as compõe.
  11. Soma-se ainda as máscaras de proteção individual e as luvas descartáveis. Estas devem ser colocadas num saco fechado e depositadas no lixo comum. Sempre que possível opte por utilizar máscaras reutilizáveis.
  12. Sabia que os brinquedos de praia — como boias, baldes, pás, entre outros –, apesar de serem de plástico, não são embalagens? Por isso mesmo não podem ir para reciclagem.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Do hotel ao camping, das bolas de Berlim ao protetor solar. 12 dicas de reciclagem para o verão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião