Wall Street em queda com investidores a aguardar estímulos

As bolsas norte-americanas regressam às perdas, enquanto ainda não são anunciados estímulos. Foram conhecidos dados do desemprego que, apesar de abaixo do esperado, continuam elevados.

As bolsas norte-americanas começaram a penúltima sessão da semana com perdas ligeiras, numa altura em que os mercados aguardam o novo pacote de estímulos do Governo para impulsionar a economia. Foram também conhecidos os pedidos para o subsídio de desemprego, que caíram ligeiramente mas mantiveram-se elevados.

Os pedidos iniciais de subsídio de desemprego totalizaram os 1,186 milhões na semana encerrada a 1 de agosto, número que compara com 1,435 milhões na semana anterior, revelou o Departamento do Trabalho norte-americano esta quinta-feira. Estes números ficaram bastante abaixo das estimativas dos analistas.

O índice de referência nos mercados norte-americanos, o S&P 500, recua 0,13% para 3.323,31 pontos e o industrial Dow Jones cai 0,11% para 27.170,82 pontos. Também o tecnológico Nasdaq desvaloriza, no arranque desta sessão, apesar de negociar próximo da linha de água. Perde 0,08% para 10.989,98 pontos.

Nas perdas, nota para a Disney, que recua 0,094% para os 127,49 depois de ter anunciado que perdeu mais de 4,2 mil milhões de dólares (3,6 mil milhões de euros) no primeiro semestre, devido ao encerramento dos parques de diversão, por causa da pandemia do novo coronavírus, bem como a Boeing, que cai 0,98% para os 172,61 dólares.

Entre as tecnológicas, destaque para o Facebook, que sobe 0,25% para os 249,75 dólares. A rede social apresentou ontem uma nova plataforma integrada no Instagram, que irá concorrer com o TikTok. Por outro lado, a Microsoft, que está em negociações para comprar a aplicação chinesa, cai 0,39% para os 212,12 dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street em queda com investidores a aguardar estímulos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião