Governo admite rever proibição dos plásticos de uso único

  • ECO
  • 13 Agosto 2020

A lei que proíbe os restaurantes de usarem descartáveis entra em vigor em setembro, mas o setor está preocupado com a situação. O Governo diz estar a “acompanhar” a situação e ainda não tem decisão.

Os estabelecimentos de restauração e bebidas ficam proibidos de utilizar ou disponibilizar louça de plástico de utilização única aos seus clientes a partir de 3 de setembro. Mas, em plena pandemia, há uma grande pressão para que o período de adaptação seja estendido. Apesar de ainda não haver uma decisão, o Governo diz estar a “acompanhar” a situação avança o Jornal de Negócios (acesso pago) nesta quinta-feira.

A Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) lidera os protestos, considerando que a lei “tem suscitado muitas preocupações no setor, ainda mais agora, pelo particular momento, tão difícil, como aquele que atravessa”, segundo justificou a sua secretária-geral, Ana Jacinto, àquele jornal. Em causa está uma diretiva comunitária que entrará em vigor em julho de 2021, mas que Governo antecipou, obrigando a que a restauração se adaptasse com um ano de antecedência.

Confrontado pelo Jornal de Negócios, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática (MAAC) disse “estar empenhado em assegurar a transposição da Diretiva”, e remeteu para o Ministério da Economia que foi igualmente contido na resposta, afirmando apenas que “está a acompanhar este assunto em articulação com o MAAC”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo admite rever proibição dos plásticos de uso único

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião