Abreu Advogados assessora o Grupo Efacec em financiamento com garantia do Estado

Manuel Santos Vítor e Rodrigo Formigal foram os advogados que compuseram a equipa da Abreu Advogados na operação de assessoria ao Grupo Efacec.

A firma Abreu Advogados assessorou juridicamente o Grupo Efacec na negociação de um novo financiamento contraído junto de cinco bancos portugueses e que gozou de garantia do Estado.

A equipa da Abreu Advogados que assessorou o Grupo Efacec nas negociações com os bancos e as entidades públicas foi coordenada por Manuel Santos Vítor, sócio da área de prática do escritório de M&A e societário e responsável por todo o apoio societário, e por Rodrigo Formigal, sócio contratado da área de prática de bancário e financeiro e responsável pelo apoio prestado no financiamento.

“Trata-se do primeiro financiamento com garantia do Estado envolvendo um sindicato bancário ao abrigo do diploma que instituiu a denominada moratória pública de crédito bancário e que cumpre o disposto no Quadro Temporário aprovado pela Comissão Europeia relativo a medidas de auxílio estatal para apoio da economia no atual contexto do surto de Covid-19″, refere a firma em comunicado.

A garantia autónoma prestada aos bancos pela Norgarante ascende a 90% do montante do empréstimo.

Esta operação que envolveu, além dos bancos financiadores, também a Direção-Geral do Tesouro e das Finanças, o IGCP, a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua, a Norgarante e a Parpública, recolheu a necessária aprovação do Estado no exercício da sua função acionista na sequência do processo de nacionalização de 71,73% da Efacec, visa permitir à Efacec normalizar a sua atividade.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Abreu Advogados assessora o Grupo Efacec em financiamento com garantia do Estado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião