Só há 300 das 2.500 novas camas prometidas para estudantes

  • ECO
  • 25 Setembro 2020

Ao contrário das 2.500 que prometia o Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior, há apenas cerca de 300 novas camas em residências estudantis.

Governo prometeu, no ano passado, 2.500 novas camas para o ensino superior, mas há pouco mais de 10% desse total. De acordo com o Público (acesso pago), o aumento da oferta de camas em residências estudantis fica-se pelas cerca de 300.

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior anunciou a existência de 18.455 camas disponíveis para os alunos para o novo ano letivo, naquela que é a maior oferta dos últimos anos no alojamento estudantil. Contudo, deste número são escassas as camas novas criadas em residências universitárias, ao contrário das 2.500 que prometia o Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior.

Contas feitas pelo Público mostram que o aumento do número de camas se cifra em apenas quase 300. Há um incremento de 208 camas no saldo global a que se juntam depois alguns investimentos pontuais, mas cuja oferta total não é muito alargada, casos do Politécnico de Coimbra e da Universidade do Porto.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Só há 300 das 2.500 novas camas prometidas para estudantes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião