Falam menos, fazem mais e comunicam melhor. Estes são os “líderes do futuro”

O projeto "Future Leaders" analisou 120 jovens líderes: são altruístas, têm um propósito claro, uma forte orientação para a ação e partilha e um discurso mais emotivo que os líderes contemporâneos.

Disciplina, cooperação, um sentimento de dever e de comunidade e o pensamento de “fazer” antes de “dizer”, são algumas das características que definem a geração de jovens líderes. É esta a conclusão doFuture Leaders”, um estudo da consultora LLYC em parceria com a Trivu, que usou o cruzamento de técnicas de processamento linguístico e inteligência artificial, para entender as características de personalidade da nova geração de líderes.

A equipa envolvida analisou o discurso de 120 jovens, com menos de 30 anos, em Espanha, Portugal, Peru, Estados Unidos, Argentina, Chile, Equador, Brasil, Colômbia, República Dominicana, Panamá e México. As conclusões do estudo apontam ainda para uma transformação dos jovens líderes do futuro no que respeita ao registo de expressões emocionais (+45% do que os líderes atuais, nos quais ainda prevalece um discurso mais frio, profissionalizado e técnico).

O estudo analisou em profundidade a pegada digital discursiva (artigos, textos, publicações nas redes sociais, vídeos) de cada um dos jovens líderes em várias áreas. São altruístas e movidos pela paixão, têm sólido sentido de disciplina, e a forte tendência para a ação, a firme orientação para a cooperação e a liderança coletiva ou resiliente, positiva e emocional são algumas das dimensões que definem o perfil desta nova geração de líderes. São estes traços que distinguem esta geração da dos líderes contemporâneos, revela o estudo.

Os líderes do futuro têm ainda mais tendência para utilizar no seu discurso verbos como “ajudar” partilhar” e “participar”, refere o documento, e apoiam-se na tecnologia para passarem à ação.

“Não há dúvida de que este contexto volátil e incerto foi muito acelerado pela pandemia, o que nos colocou perante a maior mudança de paradigma em termos de reputação e valorização social da liderança. Com este projeto, procurámos atingir dois grandes objetivos: por um lado, proporcionar uma visão da nova geração de líderes que, adaptando-se à situação atual, será capaz de inspirar a sociedade do futuro; e, por outro lado, reunir uma seleção de jovens que, dentro das suas áreas de interesse, já estão a dar passos significativos para mudar o mundo”, explicou José Antonio Llorente, presidente da LLYC, em comunicado.

Os jovens líderes portugueses que estão a mudar o mundo

Para selecionar os líderes de futuro, o estudo utilizou três critérios: ter um propósito claro na sua área de atividade; o seu potencial de mobilização; e, por fim, a capacidade de influência.

Em Portugal, os dez jovens analisados pelo estudo foram Salvador Sobral (músico; vencedor do Festival da Eurovisão de 2017), Frederico Morais (surfista; vencedor do prémio de melhor surfista europeu do ano no Eurosima Surf Summit 2017), Madalena Rugeroni (country manager na Too Good to Go em Portugal), Joana Paiva (empreendedora, cientista e engenheira biomédica; CTO e cofundadora do iLoF – Intelligent Lab on Fiber), Fred Canto e Castro (fundador da Sonder e CEO do Seekers Club), Simão Cruz (engenheiro especialista em Fintech e diretor adjunto de estratégia e desenvolvimento digital do banco BIG), Margarida Balseiro Lopes (deputada na Assembleia da República e presidente da Comissão Política Nacional da JSD), Miguel Oliveira (piloto de motociclismo e primeiro piloto profissional português do MotoGP), Joana Leite de Castro (cofundadora da The Human Toolbox) e Catarina Macedo (engenheira especialista em UX e senior program manager de P&D da Xbox na Microsoft).

“Esta análise permite-nos identificar, de facto, uma mudança estrutural na forma como deve ser percecionada a liderança e a comunicação no futuro. A pandemia acelerou esta tendência que há muito falávamos de uma comunicação mais humana, mais próxima, com um propósito claro e muito focada na ação. É precisamente isso que irá ser exigido a estes líderes do futuro”, sublinha Tiago Vidal, diretor-geral da LLYC em Portugal, citado em comunicado.

Pode consultar a lista completa dos líderes do futuro aqui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Falam menos, fazem mais e comunicam melhor. Estes são os “líderes do futuro”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião