Luís Melo sucede a Fernando Neves de Almeida. É o novo country manager da Boyden Portugal

  • Pessoas
  • 7 Outubro 2020

Luís Melo, partner da consultora de liderança e talento desde 2005, foi nomeado para suceder a Fernando Neves de Almeida no cargo de country managing partner, função que ocupava há 23 anos.

Luís Melo é o novo country managing partner da consultora de liderança e talento da Boyden Portugal, sucedendo a Fernando Neves de Almeida que ocupava o cargo há mais de 20 anos. O novo responsável é partner da Boyden desde janeiro de 2005.

Após 23 anos à frente da Boyden, chegou a altura de passar o testemunho. Ao longo destes anos que tive o privilégio de liderar a Boyden, passamos de uma empresa residual, no nosso setor, a líderes de mercado. Claro está, que isso só foi possível graças a uma equipa de excelência que me tem acompanhado ao longo dos anos e que me enche de orgulho poder dizer que os liderei. Mas, como tudo na vida, os ciclos têm um fim e o meu ciclo chegou ao fim“, sublinha Fernando Neves de Almeida, numa publicação no LinkedIn.

Luís Melo integrou a Boyden pela primeira vez em 2001 como associate e tornou-se international partner em janeiro de 2005, ficando responsável pelas áreas de IT, farmacêutica, distribuição e bens de grande consumo.

“É com muito orgulho que comunico que o meu sucessor é o Luís Melo, sócio que muito admiro, e que tem sido fundamental no caminho que percorremos. Continuarei ligado à Boyden e tudo farei para lhe facilitar a tarefa, na certeza, porém, de que os próximos anos terão o seu cunho. Estou certo de que a Boyden ainda vai ser melhor e maior”, conclui Fernando Neves de Almeida, ex-country managing partner da Boyden.

O novo country manager da empresa é licenciado em gestão pela Universidade Lusíada de Lisboa e tem um MBA em gestão pela Universidade Nova de Lisboa.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Luís Melo sucede a Fernando Neves de Almeida. É o novo country manager da Boyden Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião