Web Summit vai ser 100% online este ano

Paddy Cosgrave pretendia realizar um evento híbrido (presencial e online), mas depois de dialogar com o Governo e com o Município de Lisboa foi decidido que será uma edição 100% digital.

O Web Summit vai ser exclusivamente online este ano. Paddy Cosgrave e a equipa pretendiam realizar um evento híbrido (presencial e online), mas depois de dialogar com o Governo e com o Município de Lisboa foi decidido que será uma edição 100% digital por causa da Covid-19, à semelhança do que a organização já fez com o Collision, evento que realiza habitualmente em Toronto, no Canadá, em junho.

“Lisboa continua a ser a casa da Web Summit, mas com o crescimento de infeções e surtos de Covid-19 na Europa, temos de pensar no que é melhor para os portugueses e para os nossos participantes“, diz Paddy Cosgrave, em comunicado.

“A forma mais segura e mais razoável de repetir o Web Summit é fazê-lo totalmente online em 2020”, acrescenta neste comunicado, dias depois de ter revelado através do Twitter que estava a ser analisada esta possibilidade e de a empresa direcionar toda a comunicação das últimas semanas para o acompanhamento do evento, que atraiu para Lisboa mais de 70 mil pessoas na edição do ano passado, para o formato remoto.

A cimeira tecnológica vai realizar-se entre os dias 2 e 4 de dezembro no mundo virtual, sendo expectável que mais de 100 mil pessoas acedam ao canal dedicado a Portugal, criado exclusivamente para o evento e através do qual serão realizadas entrevistas a centenas de CEO de startups nacionais.

“Esperamos receber novamente os participantes em Lisboa em 2021”, diz Paddy, antecipando o regresso ao modelo presencial que, em anos anteriores, tem tido um impacto estimado de 300 milhões de euros na economia da cidade.

Ainda em dúvida está o acordo feito entre o Governo, a autarquia e a empresa organizadora do Web Summit. Quando, em 2018, o Governo anunciou a permanência do Web Summit em Lisboa nos dez anos seguintes, o acordo assinado previa que a cada ano, Portugal pagasse 11 milhões de euros à empresa irlandesa pela realização do evento físico, na cidade de Lisboa. O ECO tentou contactar o Web Summit e a câmara municipal de Lisboa mas, até ao momento, não obteve qualquer resposta.

(Notícia atualizada às 11h39 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Web Summit vai ser 100% online este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião