Investimento na mobilidade sustentável triplica em 2021 para cerca de 650 milhões de euros

Na proposta de OE2021 o Governo fala de "montantes de investimento na área da mobilidade sustentável não têm paralelo na história recente do país". Trata-se de um salto de mais 450 milhões em 2021.

“Os montantes de investimento na área da mobilidade sustentável não têm paralelo na história recente do país, demonstrando a forte aposta do Governo na descarbonização dos transportes”.

A garantia é dada pelo Governo na proposta de Orçamento do Estado para 2021, entregue esta segunda-feira no Parlamento. O documento revela que no próximo ano o investimento na mobilidade sustentável “aumenta 450 milhões de euros, face a 2020, mantendo-se a inversão verificada a partir de 2016″.

Os investimentos nos transportes públicos tinham já mais do que duplicado entre 2019 e 2020 (de menos de 100 milhões para mais de 200 milhões de euros). Com este salto de gigante de mais 450 milhões em 2021, este investimento mais do que triplicará no próximo ano: de pouco mais de 200 milhões de euros para cerca de 650 milhões de euros.

Em 2022 o Governo prevê também um salto para quase 800 milhões de euros de investimento na mobilidade mais suave e sustentável.

Proposta de Orçamento do Estado para 2021

De acordo com o Governo, o investimento nos transportes públicos assume “relevância fulcral no quadro dos desafios ambientais, do aumento da coesão territorial e ainda da melhoria da qualidade de vida nos centros urbanos”, a que soma o desafio da pandemia de Covid-19, que revelou “a necessidade de aumentar a oferta dos serviços de transportes, garantindo a segurança dos utilizadores, face às exigências de distanciamento social”.

A proposta de OE2021 destaca três grandes eixos neste aumento de 450 milhões de investimento na mobilidade sustentável em 2021:

  • Requalificação, modernização e expansão da Rede Ferroviária Nacional, previstas no Plano Ferrovia 2020, que constitui uma mais valia para a sustentabilidade ambiental;
  • Desenvolvimento dos sistemas de metropolitano, com as expansões das redes do Metro do Porto e do Metropolitano de Lisboa, que permitem uma mobilidade mais suave, aliviando as pressões existentes nos centros urbanos associadas aos movimentos pendulares, enquanto contribuem para o alcance da meta da neutralidade carbónica em 2050;
  • Reforço da frota das empresas de transportes públicos, um investimento que permitirá efetivar o aumento da oferta de transportes, complementando o investimento na rede.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Investimento na mobilidade sustentável triplica em 2021 para cerca de 650 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião