KPMG auditou fundo das Maurícias implicado em atividades suspeitas da Wirecard

  • ECO
  • 14 Outubro 2020

A KPMG, que este ano revelou que a concorrente EY não conseguiu conter a fraude do Wirecard, também foi auditora de um veículo suspeito que pode ter sido usado para desviar fundos do grupo germânico.

A KPMG, que este ano revelou que a rival EY perdeu a oportunidade de impedir a fraude da Wirecard, era ela própria a auditora de um veículo suspeito que os investigadores acreditam ter sido usado para desviar fundos do grupo de pagamentos alemão, avança o Financial Times.

Numa auditoria especial na Wirecard, que precipitou o colapso da fintech germânica, a KPMG escreveu uma adenda em que criticava a EY por esta não ter feito o acompanhamento adequado das alegações de fraude contabilística de 2016.

Entre as alegações estava a de que a “administração sénior da Wirecard” secretamente detinha participações num fundo sedeado nas Maurícias que vendeu três empresas indianas à Wirecard, por 340 milhões de euros, semanas depois de as comprar por uma fração desse valor. Os responsáveis da Wirecard foram ainda acusados ​de inflacionar artificialmente o lucro operacional das empresas indianas, visando aumentar o preço de aquisição.

A KPMG concluiu que uma investigação subsequente da EY sobre as alegações estava “incompleta” e que existiam evidências “que deveriam ter sido investigadas de forma conclusiva”. No entanto, segundo explica o jornal britânico, não constava do relatório da KPMG qualquer reconhecimento de que o auditor do fundo das Maurícias, denominado Emerging Market Investment Fund 1A, era a própria KPMG.

Segundo as informações recolhidas pelo Financial Times, além de auditar o fundo, a KPMG também desempenhou o papel de consultor no negócio suspeito e um dos sócios da consultora envolvidos passou a trabalhar para o fundo das Maurícias.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

KPMG auditou fundo das Maurícias implicado em atividades suspeitas da Wirecard

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião