Semana de trabalho de três dias e reforma aos 75 anos. É a proposta de Carlos Slim para superar a crise

O magnata mexicano acredita que a redução da semana de trabalho e o aumento da idade da reforma pode ajudar a combater o desemprego e a salvar as empresas da crise económica causada pela pandemia.

O magnata mexicano Carlos Slim afirmou esta quarta-feira, durante um encontro da Confederação Espanhola de Diretores e Executivos (CEDE), ter a solução ideal para ultrapassar a crise económica causada pela pandemia da Covid-19: reduzir a semana de trabalho para 11 horas, e apenas três dias, e aumentar a idade de reforma dos 65 anos para os 75 anos, avança o El País (conteúdo em espanhol, acesso livre). O dono da gigante de telecomunicações América Móvil acredita que estas medidas permitiriam combater o desemprego e salvar as empresas da crise.

De acordo com o jornal espanhol, já em 2015, o empresário mexicano tinha considerado a idade de reforma “insustentável para o sistema”, e proposto a redução para 33 horas de trabalho semanais, em três dias semana.

No encontro desta quarta-feira, Carlos Slim defendeu a simplificação das estruturas empresariais e a redução dos níveis hierárquicos. Referiu-se ainda a uma “mudança civilizacional da sociedade industrial para uma nova civilização tecnológica“, destaca o El País.

A empresa de Carlos Slim parece ter ficado imune à pandemia, tendo registado um aumento de quase 45% nos lucros no terceiro trimestre do ano, relativamente a 2019. De acordo com a Reuters, a empresa registou vendas de 260.2 mil milhões de pesos, o equivalente a 104 mil milhões de euros.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Semana de trabalho de três dias e reforma aos 75 anos. É a proposta de Carlos Slim para superar a crise

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião