Morais Leitão, PLMJ e VdA foram as vencedoras nos prémios Forty under 40

SRS Advogados, Uría Menéndez-Proença de Carvalho, BAS, Costa Pinto Advogados, Linklaters, Abreu, CCA Law Firm, CMS Rui Pena & Arnaut, DLA Piper e Areias Advogados foram também premiadas.

A Morais Leitão, a PLMJ e a Vieira de Almeida (VdA) estiveram em destaque na entrega de prémios Iberian Lawyer Forty under 40, levando para os escritórios quatro prémios cada. Dos 41 prémios entregues pela publicação espanhola, 21 foram atribuídos a advogados e sociedades portuguesas.

A sociedade liderada por Luís Pais Antunes e Bruno Ferreira, PLMJ, venceu nas categorias de equipa do ano em M&A e Seguros, e de advogado do ano em Ciências da Vida e Farmacêutico, por Eliana Bernardo, advogado do ano em Tax, por Isaque Ramos.

A Morais Leitão somou três vitórias nas categorias de advogado do ano: Luís do Nascimento Ferreira, em União Europeia e Concorrência, Margarida Torres Gama, em Seguros, e Joana Alves de Abreu, em Energia. A sociedade de advogados venceu ainda o prémio de equipa do ano em White-Collar Crime.

Também com quatro prémios, a VdA foi eleita a equipa do ano em quatro áreas: Mercado de Capitais, Arbitragem, Laboral e Energia.

Os vencedores foram anunciados esta quinta-feira numa gala que teve lugar em Lisboa. Os prémios reconhecem as conquistas dos 40 melhores advogados e equipas com menos de 40 anos de idade.

Queremos que os Forty under 40 Awards continuem a ser uma data marcante no calendário dos advogados em Espanha e Portugal e, com esse objetivo, continuaremos empenhados em consolidar a posição destes prémios como o maior reconhecimento dos jovens do setor jurídico da Península Ibérica. São esses jovens que vão liderar a advocacia no futuro e merecem ser reconhecidos pelo seu trabalho e dedicação nas respetivas práticas”, referiu Aldo Scaringella, managing director do Iberian Legal Group e fundador do LC Publishing Group.

Veja aqui a lista de todos os vencedores portugueses:

  • Equipa do ano em M&A: PLMJ
  • Equipa do ano em Mercado de Capitais: Vieira de Almeida
  • Advogado do ano em Private Equity: José Costa Pinto – Costa Pinto Advogados
  • Equipa do ano em Arbitragem: Vieira de Almeida
  • Advogado do ano em Energia: Joana Alves de Abreu – Morais Leitão
  • Equipa do ano em Energia: Vieira de Almeida
  • Advogado do ano em Infraestrutura e Construção: Mafalda Ferreira – DLA Piper ABBC
  • Advogado do ano em Insolvência e Reestruturação: Ricardo Silva Pereira – Linklaters
  • Advogado do ano em Imobiliário: Renata Silva Alves – Abreu Advogados
  • Equipa do ano em Imobiliário: Uría Menéndez – Proença de Carvalho
  • Advogado do ano em União Europeia e Concorrência: Luís do Nascimento Ferreira – Morais Leitão
  • Equipa do ano em União Europeia e Concorrência: SRS Advogados
  • Equipa do ano em Laboral: Vieira de Almeida
  • Advogado do ano em IP & TMT: João Leitão Figueiredo – CMS Rui Pena & Arnaut
  • Equipa do ano em IP & TMT: CCA Law Firm
  • Advogado do ano em Ciências da Vida e Farmacêutico: Eliana Bernardo – PLMJ
  • Equipa do ano em Ciências da Vida e Farmacêutico: SRS Advogados
  • Advogado do ano em Tax: Isaque Ramos – PLMJ
  • Equipa do ano em White-Collar Crime: Morais Leitão
  • Advogado do ano em Startup: David Salgado Areias – Areias Advogados
  • Advogado do ano em Direito Público: Marco Real Martins – BAS – Sociedade de Advogados
  • Equipa do ano de Direito Público: SRS Advogados
  • Advogado do ano em Seguros: Margarida Torres Gama – Morais Leitão
  • Equipa do ano em Seguros: PLMJ

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Morais Leitão, PLMJ e VdA foram as vencedoras nos prémios Forty under 40

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião