PIB dispara 13,2% no terceiro trimestre, mas recua 5,8% face a 2019

O PIB contraiu, em termos homólogos, 5,8%, no terceiro trimestre do ano. Já na variação em cadeia, verificou-se um salto de 13,2%.

Entre julho e setembro, a economia portuguesa disparou 13,2% face ao trimestre anterior, evolução que é explicada pelo desconfinamento do país e pela retoma económica. Face ao período homólogo, registou-se uma quebra de 5,8%, depois de se ter verificado uma contração histórica entre abril e junho. Estes dados foram publicados, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os números conhecidos na manhã desta sexta-feira superam significativamente as projeções recentemente divulgadas. Os economistas da Católica estimavam que, no terceiro trimestre, o PIB teria crescido 5% em cadeia e afundado 12,5% em termos homólogos.

De acordo com a nota publicada pelo INE, a “redução menos intensa do PIB”, no terceiro trimestre do ano, ocorreu no contexto da reabertura progressiva da atividade económica. O segundo trimestre — período em que se verificou uma contração histórica da economia — tinha ficado marcado, por sua vez, pela aplicação de medidas de “contenção à propagação da Covid-19”, como o confinamento e o encerramento temporário de vários estabelecimentos.

Fonte: INE

Procura interna puxa pela economia

A referida evolução do PIB entre julho e setembro ficou a dever-se, sobretudo, à procura interna, salienta o gabinete de estatísticas nacional, indicador que “registou um contributo para a variação homóloga do PIB consideravelmente menos negativo que o observado no trimestre anterior, traduzindo principalmente a menor contração do consumo privado“. Isto tanto no que diz respeito à comparação homóloga, como em cadeia.

O INE acrescenta ainda: “O contributo negativo da procura externa líquida foi menos acentuado no terceiro trimestre, em resultado da recuperação mais significativa das exportações de bens e serviços que a observada nas importações de bens e serviços, devido em grande medida à evolução das exportações de bens, uma vez que as de serviços mantiveram reduções expressivas”.

Na nota divulgada esta sexta-feira, o gabinete de estatística aproveita também para rever os dados do trimestre passado, indicando que, afinal, a contração homóloga do PB foi de 16,4% e não 16,3%, como tinha avançado. Mantém a variação em cadeia nos 13,9%.

Para o conjunto do ano, o Governo estima que o PIB caia 8,5%, recuperando 5,4% em 2021.

(Notícia atualizada pela última vez às 10h23)

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

PIB dispara 13,2% no terceiro trimestre, mas recua 5,8% face a 2019

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião