Ganhar com o ambiente? Poupanças sustentáveis da GoParity prometem retornos até 8%

A nova ferramenta promete fazer render até 8% por ano o montante investido em projetos alinhados com os 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

A fintech portuguesa de finanças e investimentos sustentáveis GoParity lança este sábado, 31 de outubro, Dia Mundial da Poupança, uma nova ferramenta chamada Plano de Poupanças Sustentáveis, que promete fazer render até 8% por ano o montante investido em projetos alinhados com os 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável.

“Estamos a desenvolver a aplicação em resposta aos pedidos dos mais de oito mil utilizadores da plataforma que querem serviços financeiros mais transparentes, democráticos e conscientes socialmente. O nosso principal foco é prestar os serviços básicos de gestão financeira do dia-a-dia e de investimento, sempre alinhados com sustentabilidade e impacto”, explicou Nuno Brito Jorge, CEO da GoParity.

A empresa sublinha que, desta forma, “Portugal aproxima-se assim de países como Espanha (Triodos) e Itália (Banca Etica), onde já existem Bancos Éticos que fomentam a economia de Impacto”.

Este novo Plano de Poupanças Sustentáveis está disponível online e também na app GoParity (para iOS e Android). Para chegar ao maior número de projetos e diversificar o investimento, a fintech vai, através de um algoritmo, distribuir o montante programado pelos investidores para o plano de poupanças pelo maior número de projetos abertos a financiamento no período em questão, garantindo a regra de 20 euros de investimento mínimo por projeto.

Como funciona o Plano de Poupanças Sustentáveis?

  1. O investidor decide o montante e o dia em que quer fazer a transferência (automática) para a GoParity, e a plataforma trata do resto, garantindo a diversificação do investimento.
  2. Depois disso, o investidor não tem que se preocupar com mais nada.
  3. Sempre que quiser, pode verificar o crescimento da conta poupança e o impacto criado, em CO2 evitado, podendo cancelar em qualquer altura ou levantar o capital disponível.
  4. A cada utilizador da GoParity é atribuído um IBAN e a possibilidade de fazer transferências gratuitas para qualquer conta bancária.

Para dar maior liquidez dos investidores, nesta funcionalidade a GoParity não vai investir em projetos cujo período de maturidade ultrapasse os cinco anos.

“De momento estamos a abrir um projeto por semana, sendo que muitos ficam financiados em apenas umas horas, e num máximo de um mês. Com o lançamento do Plano de Poupanças Sustentáveis prevemos aumentar este ritmo e tornar os financiamentos ainda mais rápidos, para que cada vez mais organizações tenham a possibilidade de ver os seus projetos sustentáveis financiados” diz Brito Jorge.

Criada em 2016, a GoParity é regulada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). Em quatro anos já investiu e viu nascer projetos de energia, turismo, mobilidade, e empreendedorismo sustentáveis, indústria do mar, desenvolvimento rural e economia circular em Portugal, no Brasil, na Colômbia, no Peru e no Uganda. Prepara-se também para chegar a Espanha e ao Congo. O objetivo da fintech é criar um Banco Verde.

Em quatro anos de atividade gerou cerca de 3,1 milhões de euros para 55 projetos submetidos, com mais de 8,1 mil investidores inscritos e um retorno na ordem dos 4,9% a 7,5% ao ano, o que representa mais de 635 mil euros pagos a investidores e cerca de 14 mil toneladas de dióxido de carbono evitado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ganhar com o ambiente? Poupanças sustentáveis da GoParity prometem retornos até 8%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião