Farfetch dispara 14% após acordo de 1,1 mil milhões com Alibaba e Richemont

A Farfetch, fundada pelo português José Neves, está a disparar mais de 14% em Wall Street, após ter fechado um acordo com o grupo chinês Alibaba e com a suíça Richemont no valor de 1,1 mil milhões.

A Farfetch, fundada pelo português José Neves, está a disparar mais de 14% em Wall Street, depois de ter fechado um acordo de parceria com o grupo de e-commerce chinês Alibaba e com a suíça Richemont no valor de 1,1 mil milhões de dólares.

As ações da Farfetch estão a subir 14,18% para 43,15 dólares, o valor mais elevado desde que entrou na bolsa, no dia 21 de setembro de 2018, depois de um IPO que avaliou a empresa em 20 dólares por ação.

Este desempenho surge depois de a Farfetch, uma plataforma online de comércio de artigos de luxo, ter anunciado esta quinta-feira que fechou um acordo de 1,1 mil milhões de dólares para “acelerar a digitalização da indústria do luxo”.

O contrato prevê um investimento de 600 milhões de dólares repartidos entre a Alibaba e a Richemont em obrigações convertíveis na Farfetch Limited, e ainda mais 500 milhões de dólares (repartidos pelas duas empresas) na Farfetch China, uma joint venture que incluirá um marketplace na região chinesa.

Esta sexta-feira, o banco de investimento americano Wells Fargo subiu o price target da Farfetch dos 20 dólares para os 42 dólares, uma subida superior a 100% na avaliação da empresa.

Farfetch brilha após acordo de 1,1 mil milhões

Fonte: Reuters

Neste momento, a Farfetch apresenta uma capitalização bolsista na ordem dos 12,84 mil milhões de dólares, cerca de 10,8 mil milhões de euros. É um valor de mercado superior ao das retalhistas nacionais Jerónimo Martins (8,5 mil milhões de euros) e Sonae (1,1 mil milhões) em conjunto.

Em 2019, a Farfetch registou um volume de negócios de cerca de dois mil milhões de dólares, ainda que tenha registado prejuízos de 374 milhões, uma subida de 140% face ao ano anterior.

(Notícia atualizada às 15h07)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Farfetch dispara 14% após acordo de 1,1 mil milhões com Alibaba e Richemont

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião