Marcelo chama partidos para discutir OE e pandemia

As novas audiências estão marcadas para 17 e 18 de novembro. Marcelo quer ouvir os partidos sobre o Orçamento do Estado e a pandemia.

O Presidente da República quer voltar a ouvir os partidos com assento na Assembleia da República sobre o Orçamento do Estado para 2021, bem como a evolução da pandemia e o estado de emergência. Nesse sentido, Marcelo Rebelo de Sousa marcou novas audiências para 17 e 18 de novembro, foi anunciado esta quinta-feira.

“O Presidente da República marcou audiências com os partidos políticos com assento parlamentar para os próximos dias 17 e 18 de novembro. O Presidente quer ouvir os partidos sobre o Orçamento do Estado para 2021, atualmente em discussão na especialidade, e sobre a situação de pandemia e o estado de emergência”, é indicado numa nota publicada no site da Presidência.

No que diz respeito ao Orçamento do Estado para 2021, esta quinta-feira foi dia do ministro das Finanças ir defender a proposta do Governo no Parlamento, encerrando o ciclo de audições marcadas no âmbito da apreciação na especialidade.

A votação final global desse documento está marcada para 27 de novembro, não estando ainda garantida a sua aprovação. Na generalidade, a proposta do Executivo foi viabilizada com as abstenções do PCP, PAN, PEV e das duas deputadas não inscritas.

Já no que diz respeito à pandemia, esta quinta-feira o Governo aprovou em Conselho de Ministros a atualização da lista de concelhos onde se aplicam medidas mais restritivas, como o recolher obrigatório. O Executivo decidiu, também, impor o encerramento dos estabelecimentos comerciais e de restauração, neste fim de semana e no próximo, entre as 15h00 e as 8h00, ainda que haja algumas exceções.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Marcelo chama partidos para discutir OE e pandemia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião