Este fim de semana mantém-se recolher obrigatório em 191 concelhos. Escalões de risco só no novo estado de emergência

As medidas que o Governo está a estudar para dividir o país em três grupos de risco destinam-se a um eventual novo estado de emergência.

Os novos escalões para os concelhos onde há mais risco de propagação do vírus, que o Governo está a estudar aplicar, destinam-se a um novo eventual estado de emergência. Desta forma, neste fim de semana deverão manter-se as restrições que abrangem 191 concelhos do país e que impõem um recolher obrigatório às 13h.

Foi o deputado do PEV, José Luís Ferreira, que adiantou esta terça-feira o que o Governo tinha nos planos, depois de se reunir com o Presidente da República. O deputado explicou que estava em estudo uma divisão dos concelhos em maior risco entre três escalões: de 240 a 480 casos por 100 mil habitantes, de 480 a 960 casos e mais de 960 casos.

Seria apenas no escalão mais elevado que seriam aplicadas restrições mais apertadas, como aquelas previstas para este fim de semana, adiantou também José Luís Ferreira. Ficou a dúvida se as alterações teriam efeito já neste final de semana. Questionado pelo ECO, o partido esclareceu que estas medidas estão a ser pensadas para um eventual novo estado de emergência.

O estado de emergência atual está em vigor até à próxima segunda-feira, dia 23 de novembro, com as medidas já conhecidas para os concelhos de maior risco, que impõem recolher obrigatório às 23h nos dias de semana e às 13h no fim de semana.

Existe a possibilidade de renovação deste estado de emergência por mais 15 dias, sendo que o Presidente da República está a ouvir os partidos sobre o assunto. O mais provável é que Marcelo Rebelo de Sousa opte pela renovação, segundo adiantaram os partidos à saída das reuniões. A Assembleia da República já está preparada para esta possibilidade, tendo pré-agendado para esta sexta-feira às 09h00 o debate e votação de uma eventual renovação do estado de emergência.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Este fim de semana mantém-se recolher obrigatório em 191 concelhos. Escalões de risco só no novo estado de emergência

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião