De moderado a extremamente elevado, veja aqui em que nível de risco está o seu concelho

Há quatro níveis de risco para classificar os concelhos, consoante o número de casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Veja onde está o seu município.

O Governo anunciou novas medidas para as próximas duas semanas e uma delas foi a criação de novos níveis de risco para os concelhos, passando assim a haver quatro escalões, definidos de acordo com o número de novos casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. E, dependendo do nível de risco, cada concelho terá medidas específicas. Saiba em que nível está o seu concelho.

“É em função destes níveis que iremos modelando as medidas a adotar” para travar o aumento do número de casos de Covid-19, disse o primeiro-ministro este sábado, durante a conferência de imprensa onde anunciou as novas medidas desta nova fase do estado de emergência, que entram em vigor na terça-feira.

65 concelhos em risco moderado

É o nível mais baixo de todos. Para estar neste escalão, os concelhos têm de ter registado menos de 240 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, como explicou António Costa.

Aqui estão os 65 concelhos, dos quais 17 caíram de risco elevado. Contudo, António Costa sublinhou que “deixar de estar na lista de risco elevado não significa que o risco tenha desaparecido”.

Estes são os concelhos:

  1. Aljezur
  2. Alvito
  3. Mértola
  4. Moura
  5. Mourão
  6. Portel
  7. Sernancelhe
  8. Vidigueira
  9. Alcoutim
  10. Almodôvar
  11. Alvaiázere
  12. Arraiolos
  13. Castelo de Vide
  14. Castro Marim
  15. Góis
  16. Ourique
  17. Pinhel
  18. Santiago do Cacém
  19. Vendas Novas
  20. Vila de Rei
  21. Aguiar da Beira
  22. Alandroal
  23. Aljustrel
  24. Alpiarça
  25. Alter do Chão
  26. Avis
  27. Barrancos
  28. Beja
  29. Bombarral
  30. Borba
  31. Caldas da Rainha
  32. Carrazeda de Ansiães
  33. Carregal do Sal
  34. Castanheira de Pêra
  35. Castro Verde
  36. Ferreira do Alentejo
  37. Ferreira do Zêzere
  38. Figueiró dos Vinhos
  39. Fornos de Algodres
  40. Fronteira
  41. Golegã
  42. Gouveia
  43. Loulé
  44. Lourinhã
  45. Mação
  46. Marvão
  47. Moimenta da Beira
  48. Monchique
  49. Óbidos
  50. Odemira
  51. Olhão
  52. Oliveira do Hospital
  53. Pedrógão Grande
  54. Santa Comba Dão
  55. São Brás de Alportel
  56. Sertã
  57. Silves
  58. Sousel
  59. Tábua
  60. Tabuaço
  61. Tavira
  62. Vila Flor
  63. Vila Real de Santo António
  64. Vila Velha de Ródão
  65. Vouzela

86 concelhos em risco elevado

É o segundo nível mais baixo. Para estar neste escalão, os concelhos têm de ter registado entre 240 a 480 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, como explicou António Costa. No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública entre as 23h e as 5h;
  • Ação de fiscalização do cumprimento de teletrabalho obrigatório;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais às 22h;
  • Encerramento dos restaurantes e equipamentos culturais às 22h30.

Aqui estão 86 concelhos:

  1. Albufeira
  2. Alcácer do Sal
  3. Alcobaça
  4. Alcochete
  5. Alenquer
  6. Almeida
  7. Almeirim
  8. Anadia
  9. Ansião
  10. Arronches
  11. Arruda dos Vinhos
  12. Barreiro
  13. Batalha
  14. Benavente
  15. Cadaval
  16. Campo Maior
  17. Castelo Branco
  18. Castro Daire
  19. Chamusca
  20. Coimbra
  21. Condeixa-a-Nova
  22. Cuba
  23. Elvas
  24. Entroncamento
  25. Estremoz
  26. Évora
  27. Faro
  28. Gavião
  29. Grândola
  30. Idanha-a-Nova
  31. Lagoa
  32. Lagos
  33. Leiria
  34. Lousã
  35. Mafra
  36. Marinha Grande
  37. Melgaço
  38. Mesão Frio
  39. Mira
  40. Miranda do Douro
  41. Moita
  42. Monção
  43. Monforte
  44. Montalegre
  45. Montemor-o-Novo
  46. Montemor-o-Velho
  47. Montijo
  48. Mortágua
  49. Nelas
  50. Palmela
  51. Paredes de Coura
  52. Penalva do Castelo
  53. Penedono
  54. Peniche
  55. Peso da Régua
  56. Ponte da Barca
  57. Ponte de Sor
  58. Portimão
  59. Porto de Mós
  60. Redondo
  61. Ribeira de Pena
  62. Rio Maior
  63. Salvaterra de Magos
  64. Santarém
  65. São João da Pesqueira
  66. Sardoal
  67. Serpa
  68. Sesimbra
  69. Sobral de Monte Agraço
  70. Soure
  71. Terras de Bouro
  72. Tomar
  73. Tondela
  74. Torres Novas
  75. Torres Vedras
  76. Trancoso
  77. Viana do Alentejo
  78. Viana do Castelo
  79. Vila do Bispo
  80. Vila Nova da Barquinha
  81. Vila Nova de Cerveira
  82. Vila Nova de Poiares
  83. Vila Viçosa
  84. Vimioso
  85. Vinhais
  86. Viseu

80 concelhos em risco muito elevado

É o terceiro nível de risco. Para estar neste escalão, os concelhos têm de ter registado entre 480 a 960 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, como explicou António Costa. No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública e encerramento dos estabelecimentos comerciais aos fins de semana e feriados entre as 13h00 e as 5h00;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais nas vésperas dos feriados — 30 de novembro e 7 de dezembro — a partir das 15h00.

Aqui estão 80 concelhos:

  1. Abrantes
  2. Águeda
  3. Albergaria-a-Velha
  4. Alijó
  5. Almada
  6. Amadora
  7. Arcos de Valdevez
  8. Arganil
  9. Armamar
  10. Aveiro
  11. Azambuja
  12. Baião
  13. Boticas
  14. Bragança
  15. Cabeceiras de Basto
  16. Cantanhede
  17. Cartaxo
  18. Cascais
  19. Chaves
  20. Constância
  21. Coruche
  22. Covilhã
  23. Esposende
  24. Estarreja
  25. Figueira da Foz
  26. Fundão
  27. Guarda
  28. Ílhavo
  29. Lamego
  30. Lisboa
  31. Loures
  32. Macedo de Cavaleiros
  33. Mangualde
  34. Mealhada
  35. Mêda
  36. Miranda do Corvo
  37. Mirandela
  38. Mogadouro
  39. Mondim de Basto
  40. Mora
  41. Murça
  42. Murtosa
  43. Nazaré
  44. Nisa
  45. Oeiras
  46. Odivelas
  47. Oleiros
  48. Oliveira de Frades
  49. Oliveira do Bairro
  50. Ourém
  51. Pampilhosa da Serra
  52. Penacova
  53. Penamacor
  54. Penela
  55. Pombal
  56. Ponte de Lima
  57. Proença-a-Nova
  58. Reguengos de Monsaraz
  59. Resende
  60. Sabrosa
  61. Sabugal
  62. Santa Marta de Penaguião
  63. São Pedro do Sul
  64. Sátão
  65. Seia
  66. Seixal
  67. Setúbal
  68. Sever do Vouga
  69. Sines
  70. Sintra
  71. Tarouca
  72. Torre de Moncorvo
  73. Vagos
  74. Valpaços
  75. Vila Franca de Xira
  76. Vila Nova de Foz Côa
  77. Vila Nova de Paiva
  78. Vila Pouca de Aguiar
  79. Vila Real
  80. Vila Verde

47 concelhos em risco extremamente elevado

É o nível de risco mais elevado. Para estar neste escalão, os concelhos têm de ter registado mais de 960 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, como explicou António Costa. No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública e encerramento dos estabelecimentos comerciais aos fins de semana e feriados entre as 13h00 e as 5h00;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais nas vésperas dos feriados — 30 de novembro e 7 de dezembro — a partir das 15h00.

Aqui estão 47 concelhos:

  1. Alcanena
  2. Alfândega da Fé
  3. Amarante
  4. Amares
  5. Arouca
  6. Barcelos
  7. Belmonte
  8. Braga
  9. Caminha
  10. Castelo de Paiva
  11. Celorico da Beira
  12. Celorico de Basto
  13. Cinfães
  14. Crato
  15. Espinho
  16. Fafe
  17. Felgueiras
  18. Figueira de Castelo Rodrigo
  19. Freixo de Espada à Cinta
  20. Gondomar
  21. Guimarães
  22. Lousada
  23. Maia
  24. Manteigas
  25. Marco de Canaveses
  26. Matosinhos
  27. Oliveira de Azeméis
  28. Ovar
  29. Paços de Ferreira
  30. Paredes
  31. Penafiel
  32. Portalegre
  33. Porto
  34. Póvoa de Lanhoso
  35. Póvoa de Varzim
  36. Santa Maria da Feira
  37. Santo Tirso
  38. São João da Madeira
  39. Trofa
  40. Vale de Cambra
  41. Valença
  42. Valongo
  43. Vieira do Minho
  44. Vila do Conde
  45. Vila Nova de Famalicão
  46. Vila Nova de Gaia
  47. Vizela

(Notícia atualizada às 20h14 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

De moderado a extremamente elevado, veja aqui em que nível de risco está o seu concelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião