Amarelo, laranja e vermelho. Veja a cor do “semáforo” do seu concelho

O Governo criou quatro níveis, com quatro cores diferentes, para classificar os concelhos em função do risco de infeção por Covid-19. Saiba qual a cor do "semáforo" do seu concelho.

O Governo anunciou novas medidas para as próximas duas semanas para travar o aumento do número de casos de Covid-19. Foram criados novos níveis de risco para os diferentes concelhos, passando a haver quatro escalões, definidos de acordo com o número de novos casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Oficialmente, os quatro níveis são risco moderado, risco elevado, risco muito elevado e risco extremamente elevado. Cada nível de risco tem medidas específicas a partir desta terça-feira, que se distribuem assim pelos diferentes concelhos. É o caso do recolher obrigatório e dos horários de encerramento dos estabelecimentos.

As medidas a aplicar nos dois níveis mais elevados serão, para já, as mesmas. Ainda assim, conheça cada um dos níveis de risco e as respetivas medidas neste “semáforo” com os diferentes concelhos do país.

Sinal branco para concelhos com risco moderado

É o nível mais baixo de todos e abrange 65 concelhos. Para estar neste escalão, os concelhos têm de ter registado menos de 240 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Uso obrigatório de máscara nos locais de trabalho (além de nos espaços fechados e ao ar livre, quando não se possível garantir o distanciamento social);
  • Proibição de circulação entre concelhos: entre as 23h00 do dia 27 de novembro e as 5h00 de dia 2 de dezembro, e entre as 23h00 do dia 4 de dezembro e as 5h00 do dia 9 de dezembro;
  • Suspensão de atividades letivas e tolerância de ponto na Função Pública a 30 de novembro e a 7 de dezembro.

Risco elevado a amarelo

É o segundo nível mais baixo e abrange 86 concelhos. Os concelhos neste escalão têm entre 240 a 480 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública entre as 23h e as 5h;
  • Ação de fiscalização do cumprimento de teletrabalho obrigatório;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais até às 22h00;
  • Encerramento dos restaurantes e equipamentos culturais às 22h30.

Laranja para o risco muito elevado

É o terceiro nível de risco e abrange 80 concelhos. Os concelhos neste escalão têm entre 480 a 960 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública e encerramento dos estabelecimentos comerciais aos fins de semana e feriados de 1 e 8 de dezembro entre as 13h00 e as 5h00;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais nas vésperas dos feriados, isto é, 30 de novembro e 7 de dezembro, a partir das 15h00.

Risco extremamente elevado a vermelho

É o nível de risco mais elevado e abrange 47 concelhos. Para estar neste escalão, os concelhos têm uma incidência de mais de 960 casos por cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

No que diz respeito às medidas a cumprir, está previsto:

  • Proibição de circulação na via pública e encerramento dos estabelecimentos comerciais aos fins de semana e feriados de 1 e 8 de dezembro entre as 13h00 e as 5h00;
  • Encerramento dos estabelecimentos comerciais nas vésperas dos feriados, isto é, 30 de novembro e 7 de dezembro, a partir das 15h00.

 

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Amarelo, laranja e vermelho. Veja a cor do “semáforo” do seu concelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião