Fundo +Plus da Casa do Impacto investe 435 mil euros em dez projetos

GoParity, MyPolis, Manicómio, Mentora Health, DiVERGE, Music Seeds, Rural Invest, MAD Panda, Maria e Beat the Butt são os projetos investidos no Programa de Investimento para o Impacto +Plus.

Inês Sequeira, da Casa do Impacto.D.R.

O programa +Plus, desenvolvido pela Casa do Impacto da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, anunciou esta segunda-feira o investimento de 435 mil euros em dez startups de impacto: GoParity, MyPolis, Manicómio, Mentora Health, DiVERGE, Music Seeds, Rural Invest, MAD Panda, Maria e Beat the Butt foram as dez empresas escolhidas por este fundo e dedicam-se a projetos relacionados com saúde, proteção animal, reinserção social, investimento para a sustentabilidade e ecologia.

“O +Plus é a contribuição da Casa do Impacto e da SCML para atingir as metas dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e, ao mesmo tempo, para fomentar a discussão, debate e criação de um ecossistema de investimento de impacto, que ainda é muito incipiente, mas já está a mudar. O empreendedorismo 2.0 é de impacto e estas serão as organizações do futuro. As empresas, independentemente do seu ramo de atividade ou setor, vão ter de ter capacidade de incorporar o impacto — os consumidores, clientes, financiadores e seguidores assim o exigem”, assinala Inês Sequeira, diretora da Casa do Impacto, citada em comunicado.

O programa da Casa do Impacto assenta em duas ferramentas de investimento, que dependem da fase do negócio investido: +Scaling (para startups em fase muito inicial) e +Seed (para startups em fase de testing). O investimento será feito consoante os resultados apresentados, monitorizados ao longo dos próximos 12 meses no caso dos projetos +Seed e 36 meses no caso dos projetos apoiados na categoria +Scaling.

“O mecanismo do pagamento por resultados fez com que as equipas fossem muito ambiciosas nas métricas de avaliação e serão também no atingir dos resultados, o que é muito benéfico para o impacto dos projetos na sociedade e resolução dos desafios propostos. Atingidas as metas, vamos soltando parcelas do investimento”, acrescenta Inês Sequeira.

A concurso estiveram 135 projetos, que foram sujeitos a três fases de seleção. A próxima edição do programa terá candidaturas abertas no primeiro trimestre de 2021.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fundo +Plus da Casa do Impacto investe 435 mil euros em dez projetos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião