Segundo teste de Marcelo Rebelo de Sousa dá negativo

O Presidente da República testou positivo ao novo coronavírus e está assintomático. Num segundo teste realizado durante a noite, Marcelo testou negativo, mas mantém-se em isolamento.

O Presidente da República foi diagnosticado com Covid-19. Marcelo Rebelo de Sousa testou positivo ao novo coronavírus pelas 21h40 desta segunda-feira, confirmou fonte oficial de Belém, mas “está assintomático”. Contudo, um segundo teste realizado esta madrugada pelo Instituto Ricardo Jorge deu um resultado negativo.

“Tendo o Presidente da República testado negativo ontem [domingo], e apesar do teste antigénio de hoje [segunda-feira] ser negativo, soube-se agora, às 21h40, que o teste PCR deu positivo”, lê-se numa nota publicada no site da Presidência da República. Numa nota divulgada esta terça-feira, a Presidência revela que “o resultado do teste realizado esta noite pelo Instituto Ricardo Jorge foi negativo”. Haverá ainda um terceiro teste: “O Presidente da República mantém-se em isolamento e aguarda a realização de um teste confirmativo”.

O comunicado inicial indicava que Marcelo Rebelo de Sousa deu conta do diagnóstico “ao Presidente da Assembleia da República”, Eduardo Ferro Rodrigues, ao primeiro-ministro, António Costa, e à ministra da Saúde, Marta Temido.

“Encontrando-se a trabalhar em Belém, aí ficou e ficará em isolamento profilático na zona residencial, aguardando o inquérito epidemiológico”, refere ainda a nota da Presidência.

Marcelo Rebelo de Sousa, que é recandidato ao cargo nas eleições Presidenciais do próximo dia 24 de janeiro, “cancelou toda a agenda para os próximos dias”, a começar pela “sessão com os peritos no Infarmed e a audição dos partidos políticos prevista para esta terça-feira.

Contudo, irá assistir à reunião uma vez na nota desta terça-feira o Presidente da República revela que “enquanto aguarda pelo resultado, bem como pelas subsequentes orientações das autoridades de saúde, o Presidente da República assistirá, por videoconferência, à reunião desta manhã no Infarmed”.

Costa deseja “rápida recuperação”

O primeiro-ministro desejou “rápida e completa recuperação” ao Presidente da República, que testou positivo ao novo coronavírus, adiantando que já falou com o chefe de Estado ao telefone e que manterá com ele “contacto permanente”.

“Tomei conhecimento do teste covid-19 positivo do Presidente da República. Já falámos ao telefone esta noite, pois quis inteirar-me do seu estado de saúde. Manteremos o contacto permanente e desejo-lhe votos sinceros de rápida e completa recuperação”, escreveu António Costa na sua conta pessoal na rede social Twitter.

Charles Michel deseja as melhoras a Marcelo

O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, desejou as melhoras ao Presidente da República, esperando que a recuperação seja “rápida e completa”. “Estou certo de que irá ultrapassar esta fase difícil e juntos venceremos nesta luta contra a pandemia“, escreveu Michel no Twitter esta terça-feira.

(Notícia atualizada pela última vez às 9h42 de 12/01/2021)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Segundo teste de Marcelo Rebelo de Sousa dá negativo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião