Netflix supera 200 milhões de subscritores a nível mundial

A plataforma de streaming Netflix tem ainda mais de 500 títulos em produção ou em fase de preparação para o lançamento. Receitas alcançaram 25 mil milhões de dólares em 2020, ano de pandemia.

A Netflix superou a fasquia dos 200 milhões de subscritores a nível global. No relatório com os resultados referentes ao quarto trimestre, divulgado pela empresa na terça-feira, a marca dá a conhecer que conta, atualmente, com 203,66 milhões de assinantes pagos em todo o mundo.

O trimestre resultou num aumento de subscritores na ordem dos 8,5 milhões, sendo que, durante a totalidade do ano, a plataforma de streaming foi capaz de angariar 37 milhões de assinantes, tendo também alcançado os 25 mil milhões de dólares em receita anual — um aumento de 24% em comparação com o período homólogo. Já no que toca ao lucro operacional, este cresceu “em 76%, para 4,6 mil milhões de dólares”.

Num ano fortemente impactado pela pandemia, dados recolhidos pela plataforma mostram que, entre as dez séries mais pesquisadas no Google no ano passado, nove eram produções originais da Netflix. Neste âmbito, a marca destaca ainda como mais de 100 milhões de pessoas viram a sua série The Crown desde o lançamento, enquanto Tiger King e The Queen’s Gambit atingiram os 62 milhões de espectadores em apenas quatro semanas.

A plataforma de streaming adiantou ainda, nos resultados do trimestre, que tem mais de 500 títulos em produção ou em fase de preparação para o lançamento, esclarecendo que já não vai precisar de angariar mais financiamento para as suas operações quotidianas.

Tudo isto acontece ainda num contexto de concorrência elevada, que nunca antes tinha sido sentida pela Netflix, nomeadamente devido ao surgimento recente de plataformas alternativas, como a Disney+, HBO Max e Peacock, aguardando-se ainda o nascimento da Paramount+ durante o ano de 2021.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Netflix supera 200 milhões de subscritores a nível mundial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião