Pandemia fez aumentar a mortalidade em excesso na UE em 297 mil

Entre março e outubro de 2020, foram registadas cerca de 297.500 mortes a mais na UE face ao período entre 2016-2019. Abril foi o mês mais mortífero, com um aumento de cerca de 25%.

A pandemia do novo coronavírus fez acelerar a taxa de mortalidade na União Europeia (UE). Entre março e outubro do ano passado, morreram mais de 297 mil pessoas no bloco comunitário face ao período de 2016-2019. Abril foi o mês mais mortífero, com aumento de cerca de 25% em relação à média no período analisado.

No total, foi registado um acréscimo de cerca de 297.500 óbitos na UE entre março e outubro de 2020 em comparação com o mesmo período de 2016-2019, segundo os dados divulgados esta quarta-feira pelo Eurostat. O pico de mortalidade foi atingido em abril, com aumento de 24,9% em relação à média do mesmo mês no período 2016-2019.

Em abril, Portugal situou-se abaixo da média do bloco comunitário, com um aumento de 15,6% da taxa de mortalidade, colocando o país com o nono pior registo do espaço Schengen. A liderar a lista está Espanha, como um aumento de 78,9%, seguida da Bélgica (73,9%) e da Holanda (53,6%).

De acordo com o gabinete de estatísticas europeu, de maio a julho do ano passado registou-se um recuo da taxa de mortalidade na UE. Nesse sentido, em maio a taxa de mortalidade cresceu apenas 2,8%, em junho 1,9% (o mês mais baixo desde março) e em julho voltou a subir ligeiramente, tendo-se registado um aumento de 2,9%. Em contraciclo neste último mês referido, a taxa de mortalidade em Portugal aumentou 25,3%, colocando o país com o pior registo em toda a UE.

Apesar deste aparente recuo na generalidade dos países europeus, os óbitos voltaram a subir a partir de setembro, numa altura em que começou a surgir a segunda vaga da pandemia. Assim, em setembro a taxa de mortalidade aumentou 8% face à média entre 2016-2019 e 17% em outubro. Nestes dois meses, Portugal registou um aumento de 12,9% e 14,3% na mortalidade, respetivamente. Numa análise mais fina, é possível verificar que o país tinha o quinto pior registo em setembro e o 14.º em outubro.

Além disso, o Eurostat sublinha ainda que a mortalidade aumentou ainda mais em novembro na generalidade dos Estados-membros, ainda que não fosse possível aferir a taxa de mortalidade em alguns países, como em Itália e na Roménia. E foi mesmo em novembro, que Portugal atingiu a taxa de mortalidade mais elevada, desde o início do ano. Verificou-se um aumento de 25,5% face à média entre 2016-2019. De acordo com os dados da Direção-Geral de Saúde, nesse mês foram registados 2.070 por Covid-19 no país. Ainda assim, Portugal está na 19.ª posição dos países analisados, numa lista liderada por Polónia (aumento de 97,2%), seguida pela Bulgária (94,5%) e da Eslovénia (91,4%).

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pandemia fez aumentar a mortalidade em excesso na UE em 297 mil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião