CEO da BlackRock diz que empresas sem plano climático vão ser penalizadas pelos acionistas

Fundador e atual líder da maior gestora de ativos do mundo considera que a pandemia mostra a urgência de reconhecer as alterações climáticas como risco existencial.

A transição para uma economia neutra em carbono é uma oportunidade de investimento e as empresas que não alinharem serão penalizadas pelos acionistas. O aviso é feito pelo maior acionista de todos, o fundador e CEO da BlackRock Larry Fink, na sua carta anual a clientes e gestores do grupo.

“Não há nenhuma empresa cujo modelo de negócio não seja profundamente afetado pela transição para uma economia neutra — que não emite mais dióxido de carbono do que aquele que retira da atmosfera — até 2050, o limite cientificamente estabelecido para manter o aquecimento global abaixo de 2ºC”, escreve Fink, que volta assim a colocar o clima no topo das prioridades da gestora de ativos.

Há um ano, o histórico líder anunciou que a BlackRock ia apostar tudo no ambiente e desinvestir em setores com maior risco ao nível da sustentabilidade. Depois de ter mudado o posicionamento, a maior gestora de ativos do mundo (responsável pela gestão de 7,8 biliões de dólares em ativos) completou em 2020 o objetivo de 100% dos portefólios de gestão ativa com critérios ESG (ambientais, sociais e de governo de sociedades) integrados. Lançou também um novo recurso de análise de dados Aladdin Climate e uma centena de fundos sustentáveis.

Mas o ano que passou ficou marcado pela Covid-19, que Larry Fink considera que confirma a urgência da sociedade em reconhecer as alterações climáticas como ameaça existencial. 2020 foi um ano histórico em termos de compromissos de empresas, governos e investidores para com uma economia neutra em carbono. Fink considera que quem não embarcar nesta linha irá ser penalizado tanto no negócio como no valor da empresa.

“À medida que a transição acelera, as empresas com estratégias de longo prazo bem articuladas e um claro plano para abordar a transição irão distinguir-se com os seus stakeholders — clientes, decisores políticos, funcionários e acionistas — ao inspirarem confiança de que irão navegar esta transformação global. Mas as empresas que não se preparem rapidamente irão sofrer nos seus negócios e nas suas avaliações já que estes mesmos stakeholders perderão confiança que essas empresas podem adaptar os modelos de negócio às dramáticas mudanças que estão a chegar”, avisa.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CEO da BlackRock diz que empresas sem plano climático vão ser penalizadas pelos acionistas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião