Quem é Andy Jassy, discípulo de Bezos e futuro chefe da Amazon?

Esteve na origem de um dos motores de crescimento da Amazon: o negócio da cloud. Quem é o gestor que vai assumir a liderança do grupo Amazon a partir deste verão?

Andy Jassy, atual líder da Amazon Web Services e futuro presidente executivo do grupo Amazon.Steve Jurvetson via Flickr

Tem 53 anos, está na Amazon há mais de 20 e é visto como um discípulo do fundador do grupo, Jeff Bezos. Andy Jassy, que lidera o negócio de cloud da empresa, foi o escolhido para assumir a presidência executiva da gigante norte-americana a partir do verão.

Quem é este gestor? Em 2003, Andy Jassy participou na troca de ideias que daria origem ao que é hoje o principal motor de crescimento da empresa, a Amazon Web Services. Nessa sessão, na sala de estar de Bezos, foi visionada a possibilidade de transformar a infraestrutura de computação da Amazon num negócio próprio.

A ideia era a seguinte: permitir que qualquer pessoa numa garagem pudesse ter acesso a infraestrutura de computação com a mesma estrutura de custos e escalabilidade que as maiores empresas do mundo. Um negócio que, agora, é amplamente conhecido por cloud, do qual o grupo é destacado líder de mercado.

De volta ao presente, a Amazon Web Services, da qual Jassy é presidente executivo, gerou vendas líquidas de 12,7 mil milhões de dólares entre outubro e dezembro de 2020 e um lucro de 3,6 mil milhões, que representa mais de metade do lucro operacional de todo o grupo Amazon, escreve o The Wall Street Journal (acesso pago). Neste contexto, a escolha de Bezos para seu substituto não é assim tão surpreendente.

Jassy cresceu em Scarsdale (Nova Iorque) e fez um M.B.A. na Universidade de Harvard. Segundo o jornal, é conhecido pela sua curiosidade e respeito pelos dados. No mercado, é ainda visto como um braço-direito de Bezos, acompanhando-o ao longo de grande parte da história da Amazon, empresa que, para quem a conhece melhor, só poderia ser liderada por alguém que viesse de dentro.

O futuro líder da Amazon, que continuará a contar com Bezos como chairman executivo, tomará as rédeas a uma empresa que parece ter sido desenhada a pensar numa pandemia: para além da cloud que alimenta a internet e permite o teletrabalho, gere uma das maiores plataformas do mundo de comércio eletrónico e entregas de encomendas e até tem um serviço de streaming de filmes e séries.

No quarto trimestre de 2020, a Amazon ultrapassou pela primeira vez a fasquia dos 100 mil milhões de dólares em receitas, com um recorde de 125,5 mil milhões. E, num ano marcado por sérias dificuldades para famílias e empresas em todo o mundo, obteve receitas de 380,06 mil milhões, uma subida de 37% face a 2019.

Mesmo assim, Jassy não deverá ter um estado de graça. O gestor, enquanto novo presidente executivo, ficará responsável por conduzir os destinos da empresa num período em que se espera forte escrutínio dos reguladores a eventuais abusos de posição dominante. Há já processos e investigações em curso na União Europeia e é, também, esperada uma acusação nos EUA a qualquer instante.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Quem é Andy Jassy, discípulo de Bezos e futuro chefe da Amazon?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião