O que são, quem as tem e quanto custam as contas bancárias “low cost”?

Numa altura em que as contas de serviços mínimos bancários são a escolha de um número cada vez maior de portugueses, o ECO mostra-lhe quem oferece estas contas. E quanto cobram.

As contas de serviços mínimos bancários (SMB) têm vindo a ganhar importância cada vez maior em Portugal. Efetivamente, dados divulgados recentemente pelo Banco de Portugal mostram que, no final do ano passado, existiam já 129.589 contas desta natureza, um aumento de 25% face a igual período de 2019.

Por detrás destes números encontra-se, claro está, a atratividade que está associada a este tipo de contas, popularmente conhecidas como contas “low cost”. Isto porque as contas de SMB dão acesso a um conjunto de serviços bancários essenciais, em troca de custos de manutenção que são bastante mais baixos quando comparados com as comissões exigidas no caso de outras contas bancárias.

Estas contas “low cost” disponibilizam vários tipos de serviços ao seu titular, para além da simples abertura e manutenção das mesmas. Assim, o detentor da conta pode dispor de um cartão de débito, realizar transferências para contas do mesmo banco ou até mesmo para contas sediadas noutras instituições, sem qualquer tipo de custo adicional. A realização de depósitos, de levantamentos, de pagamentos de bens e serviços e de débitos diretos encontram-se, também, no grupo dos chamados serviços mínimos bancários.

Quão acessíveis são, atualmente, estas contas “low cost”? De acordo com o Banco de Portugal, o custo anual dos serviços mínimos bancários não pode exceder os 4,38 euros, montante que corresponde, precisamente, a 1% do valor do indexante dos apoios sociais (IAS).

Surgem, assim, algumas questões. Que instituições bancárias disponibilizam este tipo de serviço? Quanto cobram elas, anualmente, pela manutenção destas contas “low cost”? Neste artigo, o ECO propõe-se a responder a estas perguntas, tendo por base um leque de 23 bancos distintos que operam em contexto nacional.

Quanto custa ter uma conta de SMB nos vários bancos?

Sabemos já, à partida, que o custo de uma conta de serviços mínimos bancários em Portugal nunca pode ultrapassar os 4,38 euros anuais. Neste âmbito, o ECO concluiu que a maior parte dos bancos cobra valores na ordem dos quatro euros anuais aos titulares deste tipo de contas.

São, no entanto, três os bancos que se distinguem de todos os outros, pelo facto de isentarem os seus clientes dos custos de manutenção das suas contas de SMB. Falamos do ActivoBank, do Atlântico Europa e do Banco CTT, que oferecem assim propostas mais atrativas. Porém, o Crédito Agrícola deve também ser tido em consideração, na medida em que os seus clientes têm de despender apenas 3,54 euros por ano para terem uma conta de serviços mínimos bancários.

Custo anual das contas de SMB (em euros)

Do lado oposto da tabela, e considerando apenas o leque dos bancos tidos em conta para esta análise, encontra-se o Novo Banco, sendo o que oferece um maior custo aos seus clientes pelas suas contas “low cost”, fixando esse valor nos 4,31 euros anuais. O Bankinter, o Banco BIC Português e o Banco BIG têm uma oferta semelhante, com o custo de 4,28 euros por ano.

No entanto, é importante não esquecer os restantes nove bancos (Banco Invest, Abanca, Banco Montepio, BBVA, Santander Totta, Millennium BCP, Banco Best, Caixa Geral de Depósitos e BPI), com custos de manutenção das contas de SMB a ficarem-se entre os 4,16 e os 4,24 euros anuais.

Finalmente, é também de referir que algumas das instituições bancárias analisadas não disponibilizam, neste momento, estas contas “low cost” aos seus clientes. É o que acontece com o BNI Europa, o Banco Finantia, o Banco Carregosa, o Bison Bank e o Banco Credibom.

Nota: O Wizink Bank foi desconsiderado por não oferecer serviços de depósitos. Alteração feita às 12h13.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

O que são, quem as tem e quanto custam as contas bancárias “low cost”?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião